4 de julho de 2020
  • 20:50 Dilma denuncia crime de traição nacional pela Lava Jato por ter trabalhado para os EUA
  • 17:01 Pauliceia desvairada: Não é um vídeo do Porta dos Fundos, é a mulher do Dória e uma perua falando dos pobres
  • 14:57 Operação da Lava Jato contra Serra diz mais de Moro, Dallagnol e Carlos Fernando do que do acusado
  • 12:41 Queiroz e mulher fraudam documentos na Alerj e recebem R$ 376 mil em auxílio-educação
  • 11:04 Leandro Fortes: Lava Jato vai para cima do moribundo Serra com uma década de atraso

Se Bolsonaro correu na mídia para defender a reabertura do comércio, utilizando a velha estratégia da fake news, na base da “interpretação”, a OMS nega que tenha dado qualquer sinal nesse sentido, ao contrário, pede que a quarentena seja mantida e rejeitou esse tipo de interpretação de Bolsonaro de que estudos tenham concluído, de forma definitiva, que pessoas sem sintomas não contaminam outras.

Pessoas assintomáticas também transmitem o coronavírus, esta foi a posição clara e definitiva da OMS. O que não se sabe é a proporção com que essas pessoas de fato contaminam outras. O que é muito diferente de afirmar o que Bolsonaro, de maneira irresponsável, correu para as redes de TV para, mais uma vez, utilizar uma mentira como arma de governança.

Nesta segunda-feira (08) ao afirmar que algumas pesquisas indicam que uma pessoa assintomática tem poucas chances de contagiar outras, a chefe da Unidade de Doenças emergentes da OMS, Maria Van Kerkhove citou apenas os estudos de pequeno porte.

Vendo nisso uma brecha, o irresponsável e fanfarrão, Bolsonaro, correu para as redes sociais dizendo que, a partir dessa declaração, esperava uma abertura mais rápida da economia, mostrando, com isso, como ele é manipulador. Aliás, com pouca habilidade.

E ainda teve a pachorra de dizer que o pânico começa a se dissipar de forma absolutamente especulativa, como se a vida das pessoas que entrassem em risco por um tipo de afirmação genocida como essa, não tivesse a menor importância.

Bolsonaro, que não tem o menor interesse em ampliar o número de testes para combater o vírus e saber aonde ele está e para suprimir a transmissão, prefere ampliar o número de mortes e, em seguida, adotar medidas autoritárias como na época da ditadura, manipulando o número de vítimas da Covid-19, assim como fizeram os ditadores no surto de meningite ocorrido no Brasil.

Bolsonaro é um manipulador barato, disso não há quem duvide e, como tal, escolheu apenas certos trechos da fala da OMS para usar numa defesa irresponsável da abertura destrambelhada e criminosa da economia.

O que Bolsonaro não falou, mas que é assunto no mundo, é o motivo de repúdio da sociedade brasileira. A OMS somou coro com os profissionais da saúde do Brasil, pedindo que seu governo mantivesse a transparência dos dados da Covid-19, como deve ser feito por uma liderança responsável e não por um moleque.

Claro que nada disso foi mencionado por Bolsonaro, preferindo alimentar seu gado com capim seco e seguir produzindo muito mais pânico ao conjunto da sociedade com sua maneira assustadora de governar, que já levou a um número de mortes por milhão de pessoas dez vezes maior do que a Argentina.

 

*Da redação

Celeste Silveira

RELATED ARTICLES
LEAVE A COMMENT

Comente

%d blogueiros gostam disto: