16 de julho de 2020
  • 11:13 Gilmar Mendes alertou Bolsonaro sobre o risco que corre de parar no Tribunal Internacional de Haia
  • 09:50 De mito a camundongo: Gilmar Mendes expôs a fragilidade política de Bolsonaro
  • 19:52 Entenda o relatório que acusa os EUA de cooperação ilegal na Lava Jato
  • 18:21 Em vídeo, Felipe Neto diz para o NYT que Bolsonaro é o pior presidente do mundo no combate à Covid-19
  • 15:58 Gilmar pôs um pedregulho no coturno dos militares e ficou mais cara a relação incestuosa entre Forças Armadas e governo

A decisão de abertura de fronteiras e restrição a países onde a pandemia não está sob controle foi divulgada nesta quinta, dia 11, pela Comissão Europeia.

Os países europeus irão abrir suas fronteiras externas no dia 1º de julho, mas quem é do Brasil não entra. A decisão de abertura de fronteiras e restrição a países onde a pandemia não está sob controle foi divulgada nesta quinta, dia 11, pela Comissão Europeia.

Hoje a Comissão começará a elaborar a lista dos países que terão entrada permitida. E o Brasil, enquanto não controlar a doença, terá restrições de entrada nos países do bloco.

A análise dos países será feita levando em consideração o número de novas infecções, a tendência da epidemia (se está se expandindo ou controlada) e as políticas dos governos no combate ao coronavírus, como testes, rastreamento de contatos e medidas de prevenção de contágio.

No frigir dos ovos, será a situação epidemiológica de cada nação que definirá sua inclusão na lista ou não. E a lista poderá ser ampliada aos poucos, ou o contrário.

O Brasil, que hoje tem o segundo maior número de casos, e aumentando, tem taxa de contágio acima de 1, que significa transmissão fora de controle.

O bloco irá avaliar também a capacidade de medidas de contenção durante a viagem e a reciprocidade com países europeus.

 

 

*Com informações do GGN

Celeste Silveira

RELATED ARTICLES
LEAVE A COMMENT

Comente

%d blogueiros gostam disto: