16 de julho de 2020
  • 11:13 Gilmar Mendes alertou Bolsonaro sobre o risco que corre de parar no Tribunal Internacional de Haia
  • 09:50 De mito a camundongo: Gilmar Mendes expôs a fragilidade política de Bolsonaro
  • 19:52 Entenda o relatório que acusa os EUA de cooperação ilegal na Lava Jato
  • 18:21 Em vídeo, Felipe Neto diz para o NYT que Bolsonaro é o pior presidente do mundo no combate à Covid-19
  • 15:58 Gilmar pôs um pedregulho no coturno dos militares e ficou mais cara a relação incestuosa entre Forças Armadas e governo

De acordo com a Globonews, policiais relataram inúmeras vezes a condição de Queiroz no sítio de propriedade do advogado da família Bolsonaro, Frederick Wassef, não era de um hóspede, mas de alguém que estava sendo mantido em cativeiro, tanto que a orientação que os policiais que durante 10 dias investigaram a casa, era de fazer uma inspeção em torno do imóvel sem levantar suspeitas, porque a casa era vigiada por seguranças ligados ao advogado.

Queiroz foi encontrado com pouco mais de R$ 900,00, dois celulares e muitos chips. Mas o que mais chamou a atenção dos policiais não foi a passividade de Queiroz mediante a prisão, mas de alguém que estava sendo libertado de um cativeiro.

Esse é um componente a mais nessa macabra parceria entre Bolsonaro e Queiroz, já que uma coisa vai ligando à outra. Ele, que era o braço direito de Bolsonaro no comando dos negócios da família nos gabinetes dos filhos, tinha uma ligação muito estreita com Adriano da Nóbrega, parceiro de Ronnie Lessa, vizinho de Bolsonaro e assassino de Marielle.

Os desdobramentos dessa operação prometem ser bem mais explosivos do que se imagina.

A conferir os próximos capítulos de uma novela que parecia não ter fim.

 

*Da redação

 

Celeste Silveira

RELATED ARTICLES
LEAVE A COMMENT

Comente

%d blogueiros gostam disto: