4 de julho de 2020
  • 20:50 Dilma denuncia crime de traição nacional pela Lava Jato por ter trabalhado para os EUA
  • 17:01 Pauliceia desvairada: Não é um vídeo do Porta dos Fundos, é a mulher do Dória e uma perua falando dos pobres
  • 14:57 Operação da Lava Jato contra Serra diz mais de Moro, Dallagnol e Carlos Fernando do que do acusado
  • 12:41 Queiroz e mulher fraudam documentos na Alerj e recebem R$ 376 mil em auxílio-educação
  • 11:04 Leandro Fortes: Lava Jato vai para cima do moribundo Serra com uma década de atraso

Para Leandro Fortes, do Jornalistas pela Democracia, “é uma questão de tempo até os assassinos de Marielle Franco alcançarem Fabrício Queiroz, como fizeram com o capitão Adriano da Nóbrega”. “Caso [Queiroz] decida falar, vai derrubar o presidente da República e, provavelmente, levá-lo ao xilindró com a mulher e os três filhos idiotas”.

É uma questão de tempo até os assassinos de Marielle Franco alcançarem Fabrício Queiroz, como fizeram com o capitão Adriano da Nóbrega, pelas mãos de policiais militares bolsonaristas, na Bahia.

Queiroz sabe que a milícia carioca, como a máfia siciliana, é profilática e não paga para ver, quando o que está em jogo é a sobrevivência de uma organização criminosa ligada, diretamente, ao poder central do País.

O ex-assessor da família Bolsonaro tem poucas opções, antes de virar estatística.

Caso decida falar, vai derrubar o presidente da República e, provavelmente, levá-lo ao xilindró com a mulher e os três filhos idiotas.

Em silêncio, vai ser condenado sozinho, com o risco de levar a mulher e a filha, a reboque, para uma longa temporada em Bangu.

Nos dois casos, vai estar com os milicianos no encalço.

Pobre Queiroz.

 

 

*Leandro Fortes/247

Celeste Silveira

RELATED ARTICLES
LEAVE A COMMENT

Comente

%d blogueiros gostam disto: