16 de julho de 2020
  • 13:11 Reinaldo Azevedo: Código Penal Militar, é? Ora, ele também pune genocídio e ação pró-pandemia
  • 11:13 Gilmar Mendes alertou Bolsonaro sobre o risco que corre de parar no Tribunal Internacional de Haia
  • 09:50 De mito a camundongo: Gilmar Mendes expôs a fragilidade política de Bolsonaro
  • 19:52 Entenda o relatório que acusa os EUA de cooperação ilegal na Lava Jato
  • 18:21 Em vídeo, Felipe Neto diz para o NYT que Bolsonaro é o pior presidente do mundo no combate à Covid-19

Véio da Havan é o recordista em infrações e deve ao menos R$ 57,9 milhões.

Oito dos mais destacados empresários apoiadores de Bolsonaro receberam multas que chegam a R$ 650 milhões por sonegação. Um deles é Salim Mattar, dono da Localiza e secretário de Desestatização e Privatização do Ministério da Economia, um homem de confiança de Paulo Guedes.

A Receita Federal multou empresários bolsonaristas por supostas manobras tributárias. A intenção seria, segundo auditores do órgão, evitar pagamento integral de impostos.

Entre as irregularidades apontadas está a simulação de operações de compra e venda de aeronaves. A Receita vê também uso de documentos falsificados para recolher contribuições previdenciárias.

Levantamento feito pela Folha mostra que oito empresários ligados ao governo devem cerca de R$ 650 milhões.

São valores cobrados pela Receita, contestados no Carf (Conselho Administrativo de Recursos Fiscais). Esta é a última instância de questionamentos no Executivo.

Há também registros na PGFN (Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional). Após decisões judiciais, o órgão cobra pendências transitadas em julgado e registradas na dívida ativa da União.

Segundo empresários consultados pela Folha, na gestão Bolsonaro o Carf se tornou mais amigável. Agora, o governo deixou de ter voto de desempate nas autuações superiores a R$ 5 milhões.

Antes havia a queixa de que o fisco mantinha a punição graças ao voto de minerva do então representante do Ministério da Fazenda em caso de empate no Carf. O contribuinte, nesse caso, saía prejudicado.

Em janeiro deste ano, os empresários Rubens Menin, dono da MRV Engenharia e principal acionista do canal CNN Brasil, e Salim Mattar, um dos fundadores da Localiza e hoje secretário de Desestatização e Privatização do Ministério da Economia, recorreram ao Carf de uma multa aplicada pelo fisco que, se fosse paga à vista nesta quarta-feira (24), seria de cerca de R$ 140 milhões.

 

 

*Com informações da Folha

*Foto destaque: Folha

Celeste Silveira

RELATED ARTICLES

2 COMMENTS

  1. Pingback: Oito empresários bozonazistas são multados pela Receita em R$ 650 milhões por sonegação  – Brasdangola Blogue
  2. Hilton Ferreira Magalhães Posted on 24 de junho de 2020 at 10:24

    Todos apologistas do desaparecimento do Estado para que eles se fartem das finanças e são os que utilizam os recursos do BNDES que tem nos seus cofres o dinheiro do FAT. São uns reacionários puro sangue. Há uma frase emblemática que diz: ” Nenhuma riqueza se justifica quando obtida com o alijamento dos colabores diretos e/ou indiretos”! É um retrato que acontece no nosso país. Continuo a dizer: Somos um país estranho!

    Reply
LEAVE A COMMENT

Comente

%d blogueiros gostam disto: