14 de agosto de 2020
  • 11:21 Como a Rússia desenvolveu a vacina contra COVID-19 tão rápido e quem poderá tomá-la
  • 10:19 Datafolha mostra apenas que Bolsonaro pega carona, em pelo, na garupa de Lula
  • 20:34 Queiroz e Marcia Aguiar, sua mulher, voltam para prisão e chão do Palácio do Planalto treme
  • 18:30 Vídeo: Polícia de Minas Gerais ateia fogo no quilombo Campo Grande
  • 17:17 Governo Bolsonaro envia relatório fake a ONU

Não há como fugir de um paralelo entre as acusações que pesaram sobre o PT, mas principalmente sobre Lula e dos tucanos de alta plumagem quando se fala em corrupção dos partidos e dos políticos, ainda mais quando se trata da Lava Jato, conduzida por mão de ferro pelo, até então, herói, Sergio Moro.

Para começo de conversa, já é consenso até na Globo que a operação Revoada contra Serra foi desencadeada agora, porque Moro, Dallagnol, Carlos Fernando e cia., estão na lona com tantas falcatruas e crimes contra a soberania nacional revelados nos últimos dias na guerra entre a PGR e a Lava Jato.

Já começa aí o problema, mas o que se torna extremamente grave quando se fala, sobretudo de Aécio e Serra, é que os dois estavam diretamente envolvidos na ação e na votação do golpe contra Dilma, uma presidenta honrada que viu seu mandato ser cassado por uma escumalha formada pela escória brasileira que uniu empresários, banqueiros, Eduardo Cunha, Aécio Neves, Temer e Serra que, em seguida, tornou-se ministro de Temer.

Isso dá a dimensão de que tipo de democracia o Brasil está dependurado, já que a eleição de Bolsonaro, como todos sabem, é consequência da mesma podridão cada dia mais escancaradamente fétida, porque aqui se fala de corrupção tanto de Aécio quanto de Serra, que hoje exercem os mandatos de deputado federal e senador, ou seja, absolutamente impunes.

E se Moro conseguiu contra Lula, mesmo os procuradores usando aparelhos espiões, arapongas, apenas provas de que Marisa tinha uma horta e comprou pedalinhos para os netos e de uma ligação do caseiro, Maradona, para dizer que o gambá tinha comido a galinha, do outro lado, o dos tucanos, as provas são documentais e com fartura para umas vinte encarnações tanto de Aécio quanto de Serra que, aliás, os dois usaram a família como laranjas de seus negócios.

Abre-se aqui um macabro parêntese para lembrar que um dos motivos da morte de Marisa, senão o maior, foi a revelação de conversas pessoais dela com um dos filhos que, sordidamente Moro repassou para a mídia podre desse país.

Dito isso, as circunstâncias, os fatos e a falta de provas contra Lula, que nem era mais presidente quando Moro o acusou de ter feito um acordo com empreiteiras em troca de um muquifo no Guarujá e uma reforma que o MTST provou que nunca existiu, além de uma meia sola no muro, na cozinha e no quarto dos fundos do sítio de Atibaia.

Moro, canalha como é, ainda hoje diz que isso, que beira à total desmoralização da justiça brasileira, foi o maior esquema de corrupção da história das galáxias comandado por Lula.

Se Lula tivesse feito isso, ele não seria o maior corrupto da história, mas o maior otário, o maior imbecil, o maior panaca de que se teria notícia na história da humanidade. O cara, mesmo não sendo mais presidente, fazer uma troca como essa por contratos bilionários na Petrobras, é chamar de idiota todo o povo brasileiro e confiar muito nos holofotes da Globo.

Por isso, essa operação de hoje que envolve, inclusive, Ronaldo Cesar Coelho, dono de uma afiliada da Globo na região Sul Fluminense, a TV Rio Sul, diz muitíssimo mais sobre essa organização criminosa chamada Lava Jato do que dos próprios corruptos do PSDB que estão sendo jogados hoje aos leões para tirar a atenção de um crime imensamente maior, de forma recorrente e sistêmico, produzido pelos bandidos da República de Curitiba.

Sabe-se que essa delação que entregou José Serra ocorreu há quatro anos, segundo matéria publicada na Revista Forum:

“Alvo de denúncia da Lava Jato sobre lavagem internacional de dinheiro e centro da operação Revoada, desencadeada nesta sexta-feira (3), o senador José Serra teria chorado ao implorar a um dos delatores da Odebrecht para que não entregasse seu esquema de corrupção. O fato teria ocorrido em 2016, segundo a jornalista Bela Megale, em sua coluna no jornal O Globo. Segundo ela, Serra teria marcada encontro com o delator da Odebrecht que prometia entregar aos investigadores os crimes cometidos pela filha, Verônica.”

 

*Carlos Henrique Machado Freitas

Celeste Silveira

RELATED ARTICLES

1 COMMENTS

  1. Afonso Schroeder Posted on 4 de julho de 2020 at 07:50

    Falta as TVs mostrar toda verdade: Em breve toda quadrilha vai estar na cadeia o golpe de estado abril/2016 chefão (ex-juiz Moro descumpriu a CF/88) não tem consistência é traidor dos brasileiros comprovado pela INTERCEPT aguardamos o cumprimento da justiça cadeia a ex-juiz Moro.

    Reply
LEAVE A COMMENT

Comente

%d blogueiros gostam disto: