14 de agosto de 2020
  • 11:21 Como a Rússia desenvolveu a vacina contra COVID-19 tão rápido e quem poderá tomá-la
  • 10:19 Datafolha mostra apenas que Bolsonaro pega carona, em pelo, na garupa de Lula
  • 20:34 Queiroz e Marcia Aguiar, sua mulher, voltam para prisão e chão do Palácio do Planalto treme
  • 18:30 Vídeo: Polícia de Minas Gerais ateia fogo no quilombo Campo Grande
  • 17:17 Governo Bolsonaro envia relatório fake a ONU

Platitudes, platitudes e platitudes. Esse deveria ser o slogan da GloboNews.

Quando junta Camarotti, Gabeira e Cesar Tralli, então, é diversionismo em estado puro.

Assim fazem matérias criticas a Bolsonaro naquilo que não interfere de fato no jogo político, ocupando todo o tempo dos programas “jornalísticos” para desviar a atenção dos telespectadores para assuntos diferentes do que está sendo tratado na sociedade.

Essa tática malandra é uma manobra que eles usam nas guerras políticas para enganar e confundir a sociedade.

O plano é sempre o mesmo, previamente estudado e posto em prática para atingir determinado objetivo.

No caso do governo Bolsonaro, nunca se viu qualquer crítica a Moro como ministro da Justiça e Segurança Pública bancando o capanga da milícia.

Na verdade, a palavra milícia era abolida pela Globonews enquanto Moro era ministro para não melindrar um aliado.

O mesmo ocorre com Paulo Guedes, que tem 100% de apoio e aprovação dos Marinho nas medidas econômicas neoliberais que arrebentam com o povo e fazem os ricos ficarem ainda mais ricos, destruindo a economia brasileira.

Esse expediente habilidoso, ditado pelo mercado, é procedimento padrão na Globo.

O engenho jornalístico conta com os tecnocratas convocados para bancarem os cientistas econômicos que, por sua vez, acionam um dispositivo pirotécnico na guerra de versões entre a conversa mole dos neoliberais e a realidade concreta vivida pela imensa maior parte dos brasileiros. Todas as medidas contra o povo são vendidas como grande remédio para o pais “deslanchar”, mas tudo não passa de uma grande arapuca midiática.

Afinal, essa gente ganha para iludir o povo na base da armação e da cilada, como é praxe no comportamento dos que trabalham patrocinados pelos ricaços.

Então, tome fofoquinha palaciana a qual os “jornalistas” da Globonews chamam de “bastidor”.

Esses jornalistas sequer tratam do impeachment de Bolsonaro, pois, na realidade, não querem que ele caia e sim que seja obediente.

 

*Carlos Henrique Machado Freitas

Celeste Silveira

RELATED ARTICLES
LEAVE A COMMENT

Comente

%d blogueiros gostam disto: