14 de agosto de 2020
  • 20:34 Queiroz e Marcia Aguiar, sua mulher, voltam para prisão e chão do Palácio do Planalto treme
  • 18:30 Vídeo: Polícia de Minas Gerais ateia fogo no quilombo Campo Grande
  • 17:17 Governo Bolsonaro envia relatório fake a ONU
  • 14:37 Soro produzido com plasma de cavalo tem anticorpo até 50 vezes mais potente contra a Covid-19
  • 13:48 Fernando Morais: a vacina russa

Excelente colocação do advogado criminalista, Augusto de Arruda Botelho: “Juiz não combate o crime, juiz julga. Juiz não tem ringue, juiz tem sala de audiência.”

É certo que Moro nunca foi juiz, mas moleque. Por isso o STF precisa urgentemente votar a suspeição desse canalha.

O símbolo do combate à corrupção dos “cidadãos de bem do Brasil” vale tanto quanto eles.

O colunista da Crusoé já foi de tudo em pouco tempo, de juiz e proprietário da Lava Jato a capanga de milícia no governo de Bolsonaro.

Moro não passa de um cão guloso que fareja lixo e dele se alimenta.

Por isso muitos perguntam: O que falta para anular o julgamento de Lula?

Na Globonews, mais uma vez ficou escancarado o teor persecutório e, portanto passível de anulação das condenações de Sérgio Moro.

Moro falou expressamente em “ringue” dele contra o ex-presidente Lula, jogando uma pá de cal na arrotada imparcialidade.

É por essas e outras que Moro, vergonhosamente, teve que sair fugido e mudo da sabatina na Câmara dos Deputados depois que Glauber Braga (Psol) o chamou de juiz corrupto e ladrão.

 

*Carlos Henrique Machado Freitas

Celeste Silveira

RELATED ARTICLES
LEAVE A COMMENT

Comente

%d blogueiros gostam disto: