12 de agosto de 2020
  • 19:34 Bolsonaro está entre a cruz e a caldeirinha
  • 16:56 Apoie o Blog Antropofagista
  • 15:29 Juíza do Paraná condena réu negro e cita raça como justificativa
  • 13:42 Gabinete de Jair Bolsonaro abasteceu organização criminosa por meio da filha de Queiroz, indicam extratos bancários
  • 11:28 TCU: Com verba pública, Bolsonaro favorece as TVs aliadas, SBT e Record

Por que tudo na vida não é como na história da Cinderela às avessas?

Sentindo-se ofendida pelo marido ser chamado de cidadão pelo fiscal da Vigilância Sanitária, Flávio Graça, porque na verdade, cidadania pressupõe direitos e a mulher acha mesmo que eles têm que ter privilégios, pelos dois serem engenheiros, a moça demitida da empresa de transmissão de energia Taesa. Ela é engenheira química, com especialização em administração de empresas, e tem 39 anos.

O episódio que gerou bastante repercussão, principalmente nas redes sociais, foi exibido neste domingo no programa “Fantástico”, da TV Globo. Durante uma fiscalização em um bar por volta de 21h de sábado, dia 4, um casal foi filmado atacando Graça, que é médico-veterinário e conduzia a operação. Ambos excluíram perfis que mantinham em redes sociais.

— Você não vai falar com o seu chefe, não? — perguntou o homem a Graça, dando a entender que ele pagava o salário do superintendente.

E que mais situações como esta se repitam para que um mínimo de civilidade tem que restar nesse país de Bolsonaro e bolsonaristas, que parece, mas apenas parece que nos jogaram na idade média.

Na verdade, a empresa demitindo essa figura, realizou o sonho da maioria do povo brasileira que torcia para que ela fosse punida por sua arrogância e tentativa de humilhação ao fiscal.

Que muitos exemplos como esse, que acertou em cheio a gabola idiota, sejam repetidos.

 

*Da redação

 

 

Celeste Silveira

RELATED ARTICLES
LEAVE A COMMENT

Comente

%d blogueiros gostam disto: