14 de agosto de 2020
  • 10:19 Datafolha mostra apenas que Bolsonaro pega carona, em pelo, na garupa de Lula
  • 20:34 Queiroz e Marcia Aguiar, sua mulher, voltam para prisão e chão do Palácio do Planalto treme
  • 18:30 Vídeo: Polícia de Minas Gerais ateia fogo no quilombo Campo Grande
  • 17:17 Governo Bolsonaro envia relatório fake a ONU
  • 14:37 Soro produzido com plasma de cavalo tem anticorpo até 50 vezes mais potente contra a Covid-19

Dallagnol, o Queiroz de Moro, já adiou seu julgamento do caso PowerPoint 40 vezes e prescreve em setembro.

Quem tem padrinho não morre pagão. Essa é a regra de ouro no aparelho judiciário do Estado brasileiro.

Nesta quinta-feira, Bolsonaro conseguiu o “inconseguível” para qualquer mortal que não tenha uma cadeira vaga no STF para barganhar com um juiz. Soltou (via prisão domiciliar) não só seu principal capanga, Fabricio Queiroz, como também a mulher do miliciano, foragida da justiça, que ameaçava o clã de fazer delação premiada e chutar o pau da barraca.

Agora, sabe-se que o Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) já adiou 40 vezes o julgamento do pedido de providências ajuizado por Lula contra Dallagnol, coordenador da “força-tarefa da lava jato” em Curitiba.

O último adiamento ocorreu em 1º de julho. O processo prescreve em 13 de setembro.

A ação diz respeito a uma apresentação ridícula feita por Dallagnol em 2016, durante uma entrevista coletiva. Na ocasião Dallagnol, na maior cara dura, usou um PowerPoint para acusar Lula de chefiar uma organização criminosa, sem juntar lé com cré e se transformou em piada nacional.

Segundo Mônica Bergamo, da Folha, as punições mais brandas que poderiam ser aplicadas contra os procuradores, como censura e advertência, já prescreveram. As únicas alternativas de punição que restam são, demissão e cassação da aposentadoria.

É a esbórnia corporativa dentro da esbórnia do judiciário brasileiro.

Obs: Dallagnol é aquele picareta que recebeu em sua conta 2,5 bilhões da Petrobras para criar, segundo o próprio, uma fundação privada de combate à corrupção e só devolveu a grana depois que o STF cortou as asas do esperto. É também o mesmo Dallagnol que, ao lado de Moro, vive na mídia pedindo prisão após condenação em 2ª instância “contra a impunidade”.

 

*Carlos Henrique Machado Freitas

Celeste Silveira

RELATED ARTICLES

2 COMMENTS

  1. Hilton Ferreira Magalhães Posted on 10 de julho de 2020 at 10:38

    Como um juiz pode decretar prisão domiciliar para uma pessoa considerada fugitiva e portanto infringindo os dogmas da legislação penal e com o argumento de cuidar do marido? O que acontece com uma mulher presa por roubar uma galinha e que possui filhos pequenos? Brasil país estranho e que estratifica os cidadãos e que é causa de todos os males da chamada injustiça social entre as maiores do mundo.Excetuando-se as famigeradas Capitanias Hereditárias. Como neófito, só queira entender!

    Reply
  2. Afonso Schroeder Posted on 10 de julho de 2020 at 10:59

    ‘Verdades da The Intercept Brasil incomoda os justiceiros da direita por todo Brasil aguardamos o chefão-laranja com sua quadrilha ex-juiz “Moro” ser punido por seus atos ilícitos na cadeia.

    Reply
LEAVE A COMMENT

Comente

%d blogueiros gostam disto: