6 de agosto de 2020
  • 12:28 Para Moro, Lula chefiou o maior roubo da história em troca de um muquifo e uma reforma meia sola no sítio
  • 10:53 A continuar assim, teremos togados em liquidação no OLX
  • 09:43 A mão invisível de Bolsonaro: Bretas, juiz da Lava Jato no Rio, prende secretário de Dória em São Paulo
  • 08:42 A direita, através da mídia, consegue produzir símbolos, mas não sustentá-los
  • 21:16 Bolsonaro tentou dar um golpe militar em maio, revela matéria da Piauí

A força-tarefa da Lava Jato no Rio de Janeiro acaba de entrar com recurso no Supremo para não ser obrigada a compartilhar seu banco de dados com a PGR de Augusto Aras.

Em reclamação os procuradores alegam que a liminar de Dias Toffoli viola a independência funcional do Ministério Público.

No documento, a força-tarefa diz que espera que a liminar de Toffoli seja julgada pelo plenário do STF, pois a questão em debate não versa sobre “bases de dados”, mas sobre “a definição da própria formatação constitucional que a Carta Magna deu ao Ministério Público em seus artigos 127 e seguintes”.

A verdade é que esses procuradores, filhos da penumbra, sempre estiveram livremente protegidos numa zona abençoada, para, distante da plebe, criar uma lei própria que dá a eles sangue azul.

Bastou quebrarem a harmonia de forças que pareciam rochas que vedavam a luz sem atingir esses abençoados para que pudessem praticar todas as crueldades olímpicas contra inimigos políticos sempre azeitados pela grande mídia que é capaz de esculpir em madeira um herói de pés de barro.

Pois bem, essa fonte generosa, longe do sol, secou, e essa miséria está deixando ressecada a boca desses procuradores e, naturalmente, a papa fina do combate à corrupção que, até aqui, só experimentou o sabor do camarão, tem que enfrentar um jiló que se esconde dentro da empada.

A sinfonia de cornetas, agora, mudou de lado. A histeria fônica pré-carnavalesca com todos os decibéis está zurrando contra os amarelos procuradores que veem, da noite para o dia, o terno amarrotar e perderem completamente aquela soberba nabiça de quem trazia um verniz superior ao dos mortais.

Agora, perdendo a divindade, eles estão subordinados à lei geral dos seres vivos.

 

*Carlos Henrique Machado Freitas

 

 

 

Celeste Silveira

RELATED ARTICLES

1 COMMENTS

  1. afonso Schroeder Posted on 31 de julho de 2020 at 06:47

    Clamamos por justiça o ex-juiz-Moro é criminoso, descumpridor da CF/88 comprovado também pela INTERCEPT ate quando vão tentar enganar o povo brasileiro? Cadeia já ao ex-juiz “Moro”.

    Reply
LEAVE A COMMENT

Comente

%d blogueiros gostam disto: