6 de agosto de 2020
  • 10:53 A continuar assim, teremos togados em liquidação no OLX
  • 09:43 A mão invisível de Bolsonaro: Bretas, juiz da Lava Jato no Rio, prende secretário de Dória em São Paulo
  • 08:42 A direita, através da mídia, consegue produzir símbolos, mas não sustentá-los
  • 21:16 Bolsonaro tentou dar um golpe militar em maio, revela matéria da Piauí
  • 17:55 Gilmar deixa PT mais perto do sonho de ter Lula candidato em 2022

A censura imposta pela Globo a Lula, a maior liderança política do país, mostra claramente o predomínio da mídia sobre o judiciário brasileiro, já que na condenação a Lula, Moro diz textualmente que não tinha provas para condená-lo:

“Este juízo jamais afirmou, na sentença ou em lugar algum, que os valores obtidos pela Construtora OAS nos contratos com a Petrobras foram usados para pagamento da vantagem indevida para o ex-Presidente”, disse Moro.

Ou seja, se na sentença da condenação de Lula, Moro não demonstrou vínculos entre as tais obras que beneficiaram a OAS em troca de um triplex no Guarujá, em sua acusação formal, a defesa de Lula cobrou explicação de Moro e este escreveu essa pérola de contradição, o que significa que Lula, como já havia mostrado o Intercept, tinha que ser condenado por uma fantasia saída do laboratório de fake news da Globo.

É evidente que a pergunta para uma justiça cada vez mais caracterizada como justiça de colônia é, como pode falar o STF em combater as fake news se o próprio judiciário se iguala ao gabinete do ódio que serve a Bolsonaro, governo do qual Moro foi ministro da Justiça e Segurança Pública e jamais se colocou contra as práticas criminosas que aconteciam dentro do Palácio do Planalto? Possivelmente, por achar isso perfeitamente normal, já que praticou isso durante cinco anos contra o PT, Dilma e, principalmente, Lula.

Não é preciso ser sábio para afirmar que se está diante de uma gigantesca contradição e hipocrisia. O Supremo não pode manter essa lenha nostálgica de que a Lava Jato criou o “combate à corrupção” abusando das leis e transformando uma operação policial numa instituição acima das leis, acima da Constituição, atropelando o Supremo, arbitrando sobre sua própria conduta, que hoje sabe-se que atendia muito mais à ambição política de Moro do que a qualquer resquício constitucional.

Que a Globo use seus holofotes para jogar luzes contra as fake news do gabinete do ódio e faça de conta que não fez isso durante 10 anos contra o PT, é até compreensível, afinal, isso faz parte do mecanismo que deu à Globo um império, perpetuando-se como uma verdadeira monarquia em que, por instinto de sobrevivência, sempre utilizou as mentiras mais parvas para construir narrativas e manipular a ingenuidade ou a ignorância coletiva.

Então, Vossas Excelências do STF não podem macaquear a Globo de maneira informal e sustentar uma fake news produzida pelo próprio judiciário na figura de Sergio Moro e montar na garupa política de um debate contra as fake news quando assovia para o lado na hora em que o assunto é a fake news da Lava Jato contra Lula.

 

*Carlos Henrique Machado Freitas

 

 

Celeste Silveira

RELATED ARTICLES

1 COMMENTS

  1. afonso Schroeder Posted on 1 de agosto de 2020 at 14:03

    começo da limpeza das melícias “empresários” que vinham enganado o povo brasileiro. Ministro do STF parabéns.

    Reply
LEAVE A COMMENT

Comente

%d blogueiros gostam disto: