20 de setembro de 2021
  • 21:05 Vídeo: Bolsonaro chega a Nova York, sem máscara, entra no hotel pelos fundos e é alvo de protestos
  • 16:55 Sobre o “acordo” com Bolsonaro, Moraes diz: Aguardem o desenrolar dos inquéritos
  • 15:18 Terceira via não existe, o que existe é uma xepa do bolsonarismo tão podre quanto Bolsonaro
  • 12:41 A implacável perseguição do Facebook ao blog Antropofagista
  • 11:27 A furiosa e disfarçada guerra pela Água no Brasil

Agremiação tem o sambista como presidente de honra e afirmou que o questionamento foi ‘deseducado’.

A escola de samba Unidos de Vila Isabel repudiou a pergunta feita pela jornalista Vera Magalhães a Martinho da Vila, durante o “Roda Viva” (TV Cultura) de segunda-feira, sobre a associação das milícias com as escolas de samba.

Em nota publicada nas redes sociais, a escola, que tem Martinho como “presidente de honra”, disse que o questionamento foi “leviano e deseducado” e chamou a jornalista de insensível.

A Unidos de Vila Isabel repudia com veemência o ato desrespeitoso da jornalista Vera Magalhães, no programa “Roda Viva” da TV Cultura, diante de nosso Presidente de honra, Martinho da Vila, submetido ao questionamento de um suposto envolvimento de milicianos com a escola.

O texto afirma que o artista será homenageado com o próximo enredo e que a pergunta gera especulação e suspeita.

Ícone da música brasileira e um dos grandes nomes da nossa cultura, Martinho será homenageado como próximo enredo que a agremiação levará à Marquês de Sapucaí. É leviano e deseducado impor ao artista, com toda sua história, a pergunta que embute especulação e suspeita delirantes. A jornalista foi insensível, causando tristeza e indignação aos telespectadores, fãs e vilisabelenses.

“A diretora da azul e branca reitera que em tempos tão obscuros, as escolas de samba se mantêm como a maior manifestação cultural do Brasil, geradora de desenvolvimento social, econômico e humano. A melhor e mais profunda forma de apresentar nosso país”, diz a nota.

Por fim, a diretoria da Unidos de Vila Isabel afirma que o cantor merece “ser celebrado”:

Martinho, produtivo aos 83 anos, merece ser celebrado por sua arte múltipla, em músicas, telas e livros. Gênios com ele ajudam nosso povo a cruzar períodos difíceis como o atual, mantendo viva a beleza e a crença em dias melhores.

Apesar de ser um baluarte da escola da Zona Norte do Rio, Martinho nunca ocupou um cargo de dirigente na agremiação. Ele atuou como compositor e intérprete da Vila Isabel, além de atuar na criação de enredos da escola.

Na entrevista, ela mencionou Adriano da Nóbrega — apontado pela polícia como chefe do escritório do crime — e disse que ele teria tentado “infiltrar seu grupo” de milicianos em algumas escolas de samba, dentre elas a Vila Isabel.

*Com informações do Uol

Apoie o Antropofagista com qualquer valor acima de R$ 1,00

Caixa Econômica: Agência 0197
Operação: 013
Poupança: 56322-0
Arlinda Celeste Alves da Silveira
CPF: 450.139.937-68

PIX: 45013993768
Agradecemos imensamente a sua contribuição

Celeste Silveira

Produtora cultural

RELATED ARTICLES
LEAVE A COMMENT

Comente

%d blogueiros gostam disto: