5 de dezembro de 2020
  • 21:44 Valor Econômico: PIB per capita deve levar dez anos para voltar ao nível do governo Dilma em 2013
  • 19:50 Youtuber bolsonarista revela acesso a bastidores no Planalto
  • 17:33 Ex-presidente do STF se diz perplexo com manobra da Corte a favor de Maia e Alcolumbre
  • 14:50 Vídeo: Precisamos falar do gabinete do ódio de Ciro Gomes
  • 14:15 Bonner e Renata Vasconcellos são intimados a depor pela polícia do Rio

Protesto contra Sérgio Camargo teve cartazes com dizeres como “Palmares não é casa-grande” e “movimento negro vive”.

Um grupo de manifestantes do movimento negro fez um protesto na Fundação Palmares nesta sexta-feira (29) contra a nomeação de Sérgio Camargo como presidente da instituição. O bolsonarista nega o racismo no Brasil, diz que a escravidão foi boa e não reconhece a relevância de Zumbi dos Palmares.

Sob gritos de “Fora Sérgio”, cartazes com dizeres como “Palmares não é casa-grande”, “Quem nega Zumbi, não preside Palmares”, “respeite o legado de Zumbi”, “negro de direita é escravo” e “movimento negro vive” foram levantados durante o protesto que entrou no edifício e foi até a antessala da presidência. Segundo assessores, Camargo não estava no local.

A deputada federal Erika Kokay (PT) acompanhou o protesto e comentou nas redes sociais sobre a mobilização. “FORA SÉRGIO. Alguém que nega a escravidão, nega a consciência negra, nega Zumbi e nega o racismo no Brasil, não pode presidir a Fundação Palmares!”, declarou.

A chegada de Sérgio Camargo ao posto incomodou até mesmo o irmão dele, Wadico Camargo. “Tenho vergonha de ser irmão desse capitão do mato. Sérgio Nascimento de Camargo, hoje nomeado presidente da Fundação PALMARES”, escreveu, em sua página no Facebook.

 

 

*Com informações da Forum

 

 

Celeste Silveira

RELATED ARTICLES
LEAVE A COMMENT

Comente

%d blogueiros gostam disto: