16 de janeiro de 2021
  • 18:49 O Astronauta de Bolsonaro descobriu a vacina do dia D e da hora H
  • 16:32 A Primeira-dama de Bolsonaro
  • 15:23 Bolsonaro merece um tribunal de Nuremberg
  • 14:45 Desde novembro governador do Amazonas sabia que oxigênio de hospitais era insuficiente
  • 13:29 Bolsonaro disse ter feito sua parte, e fez, promoveu aglomerações e se omitiu na ajuda a Manaus

Grupo islâmico ligado à Al Qaeda ataca base dos EUA.

“O ataque lançou uma nuvem escura de fumaça no ar”, disse Abdallah Barghash. Ele estava entre a multidão que via de perto o desenrolar da ação na Ilha Manda. O local é um dos principais pontos turísticos do país. Outras testemunhas dizem que um carro bomba foi utilizado na ação.

Aviões e veículos das forças norte-americanas foram destruídos num ataque ao aeródromo de Manda Bay, localizado perto da fronteira com a Somália. Este é o primeiro ataque conhecido do grupo extremista contra os EUA.

O grupo “jihadista” somali Al-Shabab invadiu, este domingo (05.01), uma base militar do Quênia usada pelas forças norte-americanas, destruindo aviões e veículos das forças armadas dos Estados Unidos, segundo as autoridades quenianas.

“Esta manhã, por volta das 05:30, horário local, houve uma tentativa (dos “jihadistas”) de passar pela segurança em Manda Air Strip (nome da base aérea atacada). A tentativa foi repelida com êxito”, referiram as Forças de Defesa do Quênia, num comunicado.

Entretanto, o grupo extremista Al-Shabab, que opera sob instruções do movimento terrorista Al-Qaida, reivindicou o ataque num comunicado, identificando a base como “uma das muitas plataformas de lançamento da cruzada norte-americana contra o Islão na região”.

“Sete aeronaves e três veículos militares foram destruídos no ataque”, disse o al-Shabab.

Quatro mortes

As autoridades do Quênia não forneceram informações sobre a existência de vítimas, das forças norte-americanas ou quenianas, mas confirmaram a morte de quatro dos atacantes.

Uma declaração do Comando dos Estados Unidos da América (EUA) na África, emitida horas depois de o grupo Al-Shabab ter divulgado fotos de aviões norte-americanos em chamas, disse que ainda está em curso uma avaliação dos danos no aeródromo de Manda Bay, que está a ser usado pelas forças militares.

As forças armadas norte-americanas dizem que “os relatórios iniciais refletem danos em infraestruturas e em equipamentos”, enquanto a autoridade de aviação civil do Quênia reportou que a pista de aterragem do aeródromo foi fechada.

O Quênia é uma base fundamental para o combate contra organizações extremistas em África e o aeródromo de Manda Bay é utilizado para treino e apoio a parceiros das forças norte-americanas na região, na luta contra grupos terroristas. Este é o primeiro ataque conhecido deste grupo extremista contra as forças norte-americanas.

Andrew Franklin, ex-fuzileiro naval e especialista em questões militares em África, explicou, este domingo, que “o lançamento de um ataque deliberado contra uma base permanente ocupada pelas forças militares dos EUA exige muito planeamento, ensaios, logística e capacidade operacional”.

 

 

*Com informações do DW

* Foto destaque: Metrópoles

 

 

Celeste Silveira

Produtora cultural, parecerista de projetos culturais em âmbito nacional

RELATED ARTICLES

1 COMMENTS

  1. Magda ferreira santos Posted on 25 de fevereiro de 2020 at 11:20

    PERFEITO: OLHO POR OLHO DENTE POR DENTE!!

    Reply
LEAVE A COMMENT

Comente

%d blogueiros gostam disto: