27 de fevereiro de 2021
  • 21:32 Já ministro, Moro consultou Lava Jato sobre acordos internacionais
  • 20:28 MP junto ao TCU pede suspensão de compra da Covaxin pelo Ministério da Saúde
  • 18:34 Vaza áudio de Arthur Lira: “Não vou negociar mais com o PT”
  • 17:07 Investigação revela terras protegidas da Amazônia à venda no Facebook
  • 15:19 Argentina e México consolidam aliança e tentam ocupar espaço de liderança deixado pelo Brasil

Essa senhora não cansa de passar vergonha com seu cacoete hipócrita?

Regina Duarte é a própria representação da Globo, a mesma Globo da Fundação Roberto Marinho que, durante anos, manteve-se no topo como proponente que mais arrecadou recursos públicos através da lei Rouanet, ou seja, a namoradinha do Brasil tem mesmo a quem puxar, tanto que bufou a sua moral aos que dão beiço na lei Rouanet, como uma atiradora de plantão em pleno programa do Bial, a casa da hipócrita.

Todo esse chafariz que chega a arrepiar, com Regina Duarte batendo no peito, mandando arrancar as unhas dos artistas com uma rigorosa prestação de contas, ganha um novo contorno porque a onça, que se apresenta como madre superiora da moral do mecenato público, foi descoberta com uma dívida na prestação de contas no valor de R$ 319 mil.

Trocando em miúdos, Regina Duarte deu um beiço de R$ 319 mil, parte do valor total do projeto de R$ 1,400 milhão, arrecadados em patrocínio e que não foram devidamente justificados na prestação de contas, tendo esta sido reprovada pelo Ministério da Cultura.

Ver essa figura falando em consertar a torneira da lei Rouanet, desabar de boca própria, num vídeo revelador sem barragem de dique, é ver a louça quebrada do bibelô da própria Rede Globo.

Certamente, o vídeo deve endoidecer a santa, já que é a própria que está aí da maneira mais cretina possível bancando a enfermeira da difícil tarefa de fechar com cadeado dos cofres do Estado.

Felizmente, esse vídeo mostra quem é a verdadeira vidraça da pedra jogada por Regina Duarte a partir do vídeo viralizado. Ela deve estar caladinha e de orelhas murchas como alguém que deveria ser desmascarado pelos caminhos tortos que trilhou para lesar o erário.

 

*Carlos Henrique Machado Freitas

Celeste Silveira

Produtora cultural, parecerista de projetos culturais em âmbito nacional

RELATED ARTICLES
LEAVE A COMMENT

Comente

%d blogueiros gostam disto: