24 de novembro de 2020
  • 20:28 Pequim acusa Eduardo Bolsonaro de ameaçar a relação entre Brasil e China: “Vai arcar com as consequências”
  • 19:35 STF aciona corregedoria do MPF para esclarecer ligações da Lava Jato com os EUA
  • 17:48 Segunda turma vai contra decisão de Fux e não enviará ao plenário casos em andamento
  • 14:53 Vídeo: Covas insulta as mulheres para justificar a agressão de seu vice à esposa
  • 14:08 Vídeo: Moro usa Roberto Carlos para se promover como candidato à presidência

Não é todo dia que uma ratoeira pega dois ratos no mesmo esgoto. Na verdade, Augusto Nunes e Mainardi sempre carregaram as características naturais da revista Veja.

Predominantemente de direita e, por isso mesmo, usou e abusou do ódio doméstico para intoxicar o meio ambiente político no Brasil.

Mainardi e Augusto Nunes eram o basicão de uma revista que reduziu seu conteúdo ao servilismo tucano e suas tubulações sempre foram ligadas ao comando do tucanistão paulista.

Assim, não havia tratamento no esgoto para que o grau de eficiência de uma revista violenta aplicasse todos os métodos com todos os defeitos de uma imprensa de esgoto.

Mainardi sempre foi o principal produto das águas imundas que vinham da Veja e abasteciam a Globo com seu antipetismo ensandecido, transformando-o no maior dos excrementos humanos de que se tem notícia na história do jornalismo brasileiro.

Nesse aspecto, o papel de Augusto de Nunes, se comparado ao de Mainardi, era de um camundongo na busca por coletar restos de esgoto produzidos por Mainardi, este que hoje se ocupa de dar algum oxigênio a um reduzido Moro que perdeu influência política pesada depois que se aventurou na vida política, abandonando sua armadura togada.

Já Augusto Nunes, agora bolsonarista desde criancinha, é, entre as opções da baixeza jornalística que defende Bolsonaro, o que tem a oxidação mais avançada. O sujeito é realmente podre.

Por isso é motivo de comemoração a publicação dos dois vídeos abaixo pela jornalista Mônica Bergamo desancando o racista Enio Mainardi e sua cria, Diogo Mainardi, mais proeminente do ponto de vista da falta caráter.

Lógico que os vídeos viralizaram imediatamente.

Augusto Nunes, por sua vez, tomou outra chinelada indigesta da justiça por caluniar Boulos, chamando-o de gigolô de sem-teto, para irrigar o ambiente de ódio do mundo animal dos bolsonaristas. A traulitada em seu bolso vai lhe custar mais R$ 12 mil, além dos R$ 19 mil que ainda deve ao candidato do Psol à prefeitura de São Paulo.

Augusto Nunes mereceu de Boulos o seguinte comentário:

Enio Mainardi, pai de Diogo Mainardi:

*Carlos Henrique Machado Freitas

Apoie o Antropofagista com qualquer valor acima de R$ 1,00

Caixa Econômica: Agência 0197
Operação: 013
Poupança: 56322-0
Arlinda Celeste Alves da Silveira
CPF: 450.139.937-68
Agradecemos imensamente a sua contribuição

Celeste Silveira

RELATED ARTICLES

1 COMMENTS

  1. MARIA DE ALMEIDA SANTOS JOSÉ APARECIDO DOS SANTOS Posted on 27 de outubro de 2020 at 15:01

    show. Sociedade de imbecis,eu mesmo tenho medo de me tornar um.

    Reply
LEAVE A COMMENT

Comente

%d blogueiros gostam disto: