13 de abril de 2021
  • 12:07 A vergonhosa censura imposta a Marcelo Lins quando citou da matéria do Le Monde contra a Lava Jato
  • 11:03 Eduardo diz que o pai autorizou a divulgação da conversa, mas Kajuru foi antiético
  • 10:11 Cármen Lúcia pede que STF julgue queixa contra Bolsonaro por genocídio
  • 22:34 OMS começa a perder a paciência com Bolsonaro, diz jornal francês
  • 21:15 Telefonema provoca bate-boca e amplia desgaste de Bolsonaro em Poderes

Juan Gonzalez foi escolhido para assumir como diretor sênior para o Hemisfério Ocidental; em outubro, ele disse que governo brasileiro’ ignora questões importantes como mudança climática, democracia e direitos humanos’.

WASHINGTON — O presidente eleito dos Estados Unidos, o democrata Joe Biden, nomeou Juan Gonzalez para o cargo de diretor sênior para o Hemisfério Ocidental do Conselho de Segurança Nacional. Na prática, o cargo é responsável por assuntos relativos à América Latina. Em outubro do ano passado, Gonzalez citou o Brasil ao fazer um comentário a respeito das mudanças climáticas — a fala, em tom crítico, pode indicar qual será a tônica que futuro governo democrata adotará na relação com o governo do presidente Jair Bolsonaro.

— Em qualquer relacionamento que Joe Biden tenha com líderes ao redor do mundo, a mudança climática estará no topo dessa agenda, e isso inclui o Brasil — disse Gonzalez ao site Huffpost. — Qualquer pessoa, no Brasil ou em qualquer outro lugar, que pensa que pode promover um relacionamento ambicioso com os Estados Unidos enquanto ignora questões importantes como mudança climática, democracia e direitos humanos claramente não tem ouvido Joe Biden durante a campanha.

Anybody, in Brazil or elsewhere, who thinks they can advance an ambitious relationship with the United States while ignoring important issues like climate change, democracy, and human rights clearly hasn’t been listening to Joe Biden on the campaign trail. https://t.co/SyIGlFMdpx
— Juan S. Gonzalez (@Cartajuanero) October 22, 2020

Essa não foi a primeira vez que o futuro diretor falou sobre o relacionamento entre os Estados Unidos e o Brasil. Em um artigo publicado na revista Americas Quarterly, em julho do ano passado, Gonzalez questionou se a “liderança atual do Brasil está preparada para abordar os desafios monumentais de nosso tempo”.

“A relação entre os Estados Unidos e o Brasil tem enorme potencial sob um governo Biden, cujas agendas climáticas e econômicas andam de mãos dadas. A questão para o Brasil é se sua liderança atual está preparada para enfrentar os desafios monumentais de nosso tempo”, escreveu Gonzales, sem citar o nome do presidente Jair Bolsonaro.

Gonzales já esteve no cargo de diretor para o Hemisfério Ocidental do CSN no governo de Barack Obama, entre 2011 e 2013. Depois, se tornou conselheiro especial de Biden, na época vice-presidente, de 2013 a 2015. Mais recentemente, também no governo Obama, foi subsecretário de Estado Adjunto para o Hemisfério Ocidental, com foco na implementação de políticas na América Central e no Caribe.

*Com informações de O Globo

Siga-nos no Whatsapp: https://chat.whatsapp.com/H61txRpTVWc7W7yyCu0frt

Apoie o Antropofagista com qualquer valor acima de R$ 1,00

Caixa Econômica: Agência 0197
Operação: 013
Poupança: 56322-0
Arlinda Celeste Alves da Silveira
CPF: 450.139.937-68

PIX: 45013993768
Agradecemos imensamente a sua contribuição

Celeste Silveira

Produtora cultural, parecerista de projetos culturais em âmbito nacional

RELATED ARTICLES

1 COMMENTS

  1. Afonso Schroeder Posted on 8 de janeiro de 2021 at 16:28

    Bozó com sua quadrilha do Brasil vão ser colocados em seus lugares de golpistas, enganadores, descumpridores da CF/88 e incompetentes, irresponsáveis com o Brasil, presidente dos (EUA) “Joe Biden” parabéns em colocar no devido lugar o irresponsável “Bozó” do Brasil.

    Reply
LEAVE A COMMENT

Comente

%d blogueiros gostam disto: