14 de novembro de 2021
  • 12:09 Filiação de Bolsonaro ao PL subiu no telhado
  • 10:46 As chances de Moro tirar Bolsonaro do páreo
  • 09:19 Brasil da burguesia financeira acaba com a ciência e abre fosso tecnológico
  • 07:47 ‘Incompetente Bolsonaro’, diz líder da esquerda alemã que apoia Lula
  • 22:10 Fiocruz alerta para a onda de Covid na Europa e Ásia

Rolam duas teses nesse hospício que virou o Brasil de Bolsonaro, a mais conhecida, a que gerou mais espanto, foi a que responsabilizou a fala de Ana Paula do Vôlei e a consequente suspensão da vacinação em adolescentes depois de Bolsonaro ver um comentário dela na criminosa Jovem Pan, que cumpre um papel cada vez mais nefasto na política genocida desse governo.

A segunda possibilidade corresponde não à opinião de Ana Paula, mas à falta de imunizantes e, por isso, Bolsonaro combinou com a Jovem Pan a demonização das vacinas para adolescentes e que, portanto, ficou para Ana Paula do Vôlei a responsabilidade de espalhar a mentira sobre as vacinas no programa Pingo nos Is.

Agora, chega a notícia do resultado de um estudo feito pela Pfizer e a BioNTech de que a vacina é segura para crianças de 5 a 11 anos de idade:

Segundo a revista Exame, a vacina contra covid gerou a mesma resposta imunológica observada anteriormente em crianças de 16 a 25 anos.

A Pfizer e a BioNTech anunciaram segunda-feira, 20, que sua vacina contra covid-19 induziu uma resposta imune robusta em crianças de 5 a 11 anos. As empresas também planejam pedir autorização para usar a vacina em crianças nessa faixa etária nos Estados Unidos, Europa e outros lugares o mais breve possível.

As empresas disseram que a vacina gerou uma resposta imunológica em crianças de 5 a 11 anos em seu ensaio clínico de fase dois e três que correspondeu ao que eles haviam observado anteriormente em jovens de 16 a 25 anos. O perfil de segurança também foi geralmente comparável ao da faixa etária mais velha, eles disseram.

“Desde julho, os casos pediátricos de covid-19 aumentaram cerca de 240 por cento nos EUA — enfatizando a necessidade de vacinação da saúde pública”, disse o presidente-executivo da Pfizer, Albert Bourla, em um comunicado à imprensa.

“Os resultados desses testes fornecem uma base sólida para buscar a autorização de nossa vacina para crianças de 5 a 11 anos de idade, e planejamos submetê-los ao FDA e outros reguladores com urgência.”

Alguns países já estão aplicando vacinas em crianças menores de 12 anos. Entre eles, Chile, China, Cuba, El Salvador e Emirados Árabes. Cuba usa sua vacina nacional, a Soberana; o Chile tem aplicado a vacina chinesa Sinovac; já a China tem utilizado Sinovac e Coronavac. Na Europa, a vacina da Pfizer, assim como a da Moderna, estão aprovadas para jovens de 12 a 15 anos.

No Brasil, o Instituto Butantan entrou em julho com pedido na Anvisa para ampliar a faixa etária de vacinação da Coronavac para crianças e adolescentes de 3 a 17 anos. Para isso, enviou dados de estudo feito na China que mostram ser a vacina eficaz nesta faixa etária. Em agosto, a Anvisa rejeitou o pedido, alegando incerteza sobre a duração da proteção e ausência de dados que permitisse avaliar eficácia em grupos com comorbidades.

Apoie o Antropofagista com qualquer valor acima de R$ 1,00

Caixa Econômica
Agência 0197
Operação 1288
Poupança: 772850953-6
Arlinda Celeste Alves da Silveira
CPF: 450. 139.937-68
PIX: 45013993768

Agradecemos imensamente a sua contribuição

Celeste Silveira

Produtora cultural

RELATED ARTICLES
LEAVE A COMMENT

Comente

%d blogueiros gostam disto: