28 de maio de 2022
  • 15:14 O cerco da mídia contra Lula vai aumentar
  • 14:58 Papuda: mães, irmãs e avós de presos são “vendidas” para pagar dívidas
  • 12:53 Lula: “Bolsonaro não dormiu depois do resultado da pesquisa”
  • 10:37 Editorial da Globo é o velho antipovo disfarçado de antipetismo
  • 22:11 Bolsonaro diz que concedeu indulto a Silveira para “dar exemplo” ao STF

A Ucrânia estima que cerca de 20 mil voluntários estrangeiros estão no país para lutar contra a Rússia.

O site de segurança privada nos EUA Silent Professionals publicou um anúncio de um cliente não identificado “buscando vários agentes e equipe de extração/proteção” para “operações de meio período, secretas, de extração/evacuação” na Ucrânia.

A “oportunidade de emprego” em destaque, com data de início “imediata”, promete aos mercenários US$ 1 mil (R$ 5.147) a US$ 2 mil (R$ 10.295) por dia, além de um bônus de conclusão “discutido com o empregador”.

Captura de tela do anúncio da Silent Professionals buscando agentes de extração/proteção na Ucrânia. - Sputnik Brasil, 1920, 15.03.2022

Captura de tela do anúncio da Silent Professionals buscando “agentes de extração/proteção” para ir à Ucrânia.
© Foto / Captura de tela / SilentProfessionals.org

A oferta pede que “apenas candidatos altamente experientes”, com pelo menos cinco anos de histórico militar “nesta região da Europa”, enviem candidaturas.

O emprego também requer pelo menos um ano de experiência em combate no exterior e “forte conhecimento de trabalho” de armas pequenas da era soviética e da OTAN (Organização do Tratado do Atlântico Norte), assim como bom pensamento crítico e capacidade de navegar usando mapa e bússola.

“Habilidade em falar russo, ucraniano” e outros idiomas locais é a preferida, bem como “um forte conhecimento prático das estradas ucranianas” e do terreno geral.

O anúncio parece ter sido listado no Silent Professionals no início deste mês, mas recebeu atenção dobrada após os ataques de mísseis de precisão russos ao complexo militar de Yavorovsky, no domingo (13).

A área funcionava como um importante centro de preparação para mercenários que entram na Ucrânia e também armazenava armas e equipamento militar vindos de países estrangeiros.

Dois brasileiros estavam na localidade no momento dos bombardeios. Publicações em suas redes sociais confirmam as declarações do porta-voz do Ministério da Defesa da Rússia, Igor Konashenkov.

O Ministério da Defesa russo estima que até 180 mercenários estrangeiros foram mortos ou feridos nos ataques de precisão. Konashenkov ainda alertou que a Rússia “continuaria a visar mercenários estrangeiros que chegam ao território da Ucrânia”.

Diversas vezes nos últimos dois meses, o Ministério da Defesa citou a presença de mercenários na Ucrânia. A pasta pediu aos estrangeiros que “pensassem sete vezes” antes de viajar para lutar ao lado de Kiev.

*Com Sputnik

Siga-nos no Telegram

Caros Leitores, precisamos de um pouco mais de sua atenção

Nossos apoiadores estão sendo fundamentais para seguirmos nosso trabalho. Leitores, na medida de suas possibilidades, têm contribuído de forma decisiva para isso.

Agradecemos aos que formam essa comunidade e convidamos todos que possam a fortalecer essa corrente progressista. Seu apoio é fundamental nesse momento crítico que o país atravessa para continuarmos nossa labuta diária para trazer informação de qualidade e independência.

Apoie o Antropofagista com qualquer valor acima de R$ 1,00

Caixa Econômica

Agência: 0197

Operação: 1288

Poupança: 772850953-6

PIX: 45013993768 – CPF

Agradecemos imensamente a sua contribuição

Celeste Silveira

Produtora cultural

RELATED ARTICLES
LEAVE A COMMENT

Comente

%d blogueiros gostam disto: