28 de maio de 2022
  • 15:14 O cerco da mídia contra Lula vai aumentar
  • 14:58 Papuda: mães, irmãs e avós de presos são “vendidas” para pagar dívidas
  • 12:53 Lula: “Bolsonaro não dormiu depois do resultado da pesquisa”
  • 10:37 Editorial da Globo é o velho antipovo disfarçado de antipetismo
  • 22:11 Bolsonaro diz que concedeu indulto a Silveira para “dar exemplo” ao STF

Marcelo Nogueira, que foi caseiro da mansão de Ana Cristina Valle, diz ter provas do esquema de corrupção. Ela nega e diz que hoje é “ex boazinha”, mas que usará sobrenome Bolsonaro nas campanha “autorizada ou não”

Acusada de ser a “rainha das rachadinhas” pelo ex-funcionário Marcelo Nogueira dos Santos, que foi caseiro da mansão onde mora com Jair Renan Bolsonaro em Brasília, Ana Cristina Valle, esposa 02 de Jair Bolsonaro (PL), partiu para o ataque em entrevista à Veja que vai às bancas nesta sexta-feira (6) e negou o esquema de corrupção que teria ajudado a montar no clã presidencial.

“Ele se coloca como um arquivo vivo da minha vida pessoal, dos meus namorados, do porre que eu tomei. Ele não é esse santo coitado que está pintando para todo mundo. Não tem nada que ele pudesse ter pegado de documentos da casa. O que ele quer é aproveitar o momento político com essa história e ganhar dinheiro”, afirmou.

Segundo investigações do Ministério Público do Rio, que foram barradas por Flávio Bolsonaro (PL-RJ) na Justiça, Ana Cristina teria implantado o sistema de corrupção no gabinete de Carlos Bolsonaro (Republicanos-RJ) na Câmara Municipal do Rio, antes de levar para a Assembleia Legislativa do estado, empregando diversos parentes como funcionários fantasmas.

Ana Cristina, no entanto, mostra ter medo de que Nogueira tenha feito gravações que comprovariam o esquema – como promete o caseiro, que também foi nomeado no gabinete de Flávio na Alesp.

“O Marcelo frequentava o meu escritório de advocacia. Foi lá várias vezes. Ele pode ter gravado um vídeo lá dentro enquanto eu estava atendendo meus clientes. Não tenho a mínima preocupação com isso. Aliás, naquela época tinha celular que gravava vídeo? Acho que nem tinha. Se tem, mostra o vídeo então. Isso é balela”, disse.

Apesar de relatar ameaças de morte do caseiro, a mãe de Renan não denunciou o caso à polícia.

“Depois que recebi o primeiro áudio com a ameaça de morte, fiquei desesperada e cheguei a me sentar diante de um delegado para relatar todas as ameaças, mas ainda bem que saí da delegacia sem falar nada. Não quero que ele vá preso. Não quero denunciá-lo formalmente por pena e por consideração. Vou tentar me proteger, mas não quero o mal dele, embora, em uma das mensagens, ele tenha ameaçado o Jair Renan também”.

Focada na disputa a uma cadeira de deputada distrital nas eleições deste ano, Ana Cristina diz que “já foi uma ex-mulher brava”, mas agora é uma “ex boazinha” ao dizer que usará o sobrenome Bolsonaro na campanha.

“Vou usar o nome Bolsonaro, autorizado ou não autorizado. Se ele não autorizar, o Renan me empresta o sobrenome dele, né? Eu já fui uma ex-mulher brava. Demorou uns quinze anos para acontecer, mas hoje sou uma ex-boazinha”.

*Com Forum

Siga-nos no Telegram

Agradecemos aos que formam essa comunidade e convidamos todos que possam a fortalecer essa corrente progressista. Seu apoio é fundamental nesse momento crítico que o país atravessa para continuarmos nossa labuta diária para trazer informação de qualidade e independência.

Apoie o Antropofagista com qualquer valor acima de R$ 1,00

Caixa Econômica Agência: 0197

Operação: 1288

Poupança: 772850953-6

PIX: 45013993768 – CPF

Agradecemos imensamente a sua contribuição

Celeste Silveira

Produtora cultural

RELATED ARTICLES
LEAVE A COMMENT

Comente

%d blogueiros gostam disto: