27 de janeiro de 2021
  • 21:57 Marinha pagou R$ 533 em lata de chantilly e gastou R$ 128 mil em paçoca
  • 18:55 Bolsonaro, sobre o leite condensado, repete a tática contra jornalistas que usou no caso do depósito de R$ 89 mil de Queiroz para Michelle
  • 17:15 Vídeo: Em claro desespero com o escândalo do leite condensado, Bolsonaro manda imprensa para a puta que pariu
  • 16:13 Em ÁUDIO, empresa nega venda de leite condensado na proporção indicada pelo governo Bolsonaro
  • 15:03 Desesperado, Bolsonaro apela para que caminhoneiros não façam greve na próxima semana

O Ministro da Economia, Paulo Guedes, através de sua empresa de gestão de ativos, montou fundos de pensão que receberam o montante de R$ 1 bilhão dos institutos que administram os planos de pensão e aposentadoria de empregados de empresas públicas.

A suspeita tem como base relatórios do Previc (Superintendência Nacional de Previdência Complementar).

Entre os fundos estão o Funcef do (Banco do Brasil), Petros da (Petrobras), Postalis dos (Correios), além do BNDESPar do (BNDES).

Os auditores do Funcef, entidade de Previdência Complementar dos funcionários da Caixa Econômica Federal diz que os fundos de investimentos administrados por Paulo Guedes pagaram e não justificaram o valor de R$ 385 milhões em ágio para aquisição de empresas.

Celeste Silveira

Produtora cultural, parecerista de projetos culturais em âmbito nacional

RELATED ARTICLES
LEAVE A COMMENT

Comente

%d blogueiros gostam disto: