17 de janeiro de 2021
  • 15:53 Mulher, negra e pobre, tudo o que Bolsonaro odeia, é a primeira brasileira a ser vacinada
  • 15:11 Enfim, a vacina: Anvisa aprova as vacinas ConoraVac e Oxford
  • 13:08 Técnicos da Anvisa recomendam a aprovação do uso emergencial da CoronaVac e da Oxford
  • 12:32 A espetacularização da aprovação das vacinas mostra a que nível de indigência o Brasil chegou com Bolsonaro e Dória
  • 10:34 Assista ao vivo: Anvisa vota a autorização de vacinas contra a Covid-19

Caso aconteceu dentro de academia de ginástica em Botafogo

Imagens do sistema de segurança confirmam agressão sofrida pela estudante Isabella Pinheiro, de 18 anos, na academia Body Tech, em Botafogo. O caso aconteceu na quinta-feira, dia 1. A jovem estava no banheiro do estabelecimento quando ouviu uma mulher defender o governo do presidente Jair Bolsonaro. Ao manifestar sua opinião contrária, teve início uma discussão. De acordo com as imagens da academia, as quais o Globo teve acesso, Isabella já estava na recepção do estabelecimento, quando a mulher passa e lhe dá um empurrão. Bem menor que a agressora, a estudante tentou reagir recebendo a ajuda de uma amiga que veio em seu socorro. A mulher, identificada como Heloísa Tavares Fontanet , foi contida por um segurança do espaço.

A Polícia Militar foi chamada e o caso foi parar na 10ª DP (Botafogo). Lá a jovem, que é estudante de Ciência Política na Unirio, disse aos policiais que foi xingada de “vagabunda, alienada, infantil e idiota” e ao sair do banheiro foi atacada pelas costas. Ela ainda relatou que foi jogada contra a parede e bateu fortemente a cabeça. Já Heloísa afirmou que foi xingada pela jovem e sua amiga.

O caso foi registrado como injúria de ambas as partes e lesões corporais e foi encaminhado ao Juizado Especial Criminal (Jecrim).

— Estamos vivendo um momento delicado. Você não é obrigado a aceitar ou mesmo concordar com opiniões que divergem das suas, mas tem obrigação de respeitá-las. Fizemos a análise das imagens e o procedimento será encaminhado ainda hoje para o Jecrim — afirmou a delegada Moniquel Vidal.

A mãe de Isabella denunciou o caso nas redes sociais. Entre mensagens de apoio e críticas, ela diz querer justiça. Ela conta que a jovem está com hematomas na cabeça:

— Minha filha levou socos e tapas só porque discordou de sua opinião — relatou.

Em nota, a Rede Bodytech informa que repudia qualquer tipo de ato de violência física ou verbal. Segundo o texto, a academia informa ainda que está dando todo suporte aos alunos envolvidos e tomando as devidas providências em relação ao caso.

A 10ª DP (Botafogo) investiga o caso. A reportagem entrou em contato com a acusada, mas até agora não houve resposta.

Assista ao vídeo aqui

*Com informações do Globo

Celeste Silveira

Produtora cultural, parecerista de projetos culturais em âmbito nacional

RELATED ARTICLES
LEAVE A COMMENT

Comente

%d blogueiros gostam disto: