9 de agosto de 2020
  • 15:56 Flávio Bolsonaro usou R$ 86,7 mil em espécie na compra de salas comerciais na Barra da Tijuca
  • 14:08 Gilmar quer pautar “assim que possível” processo de suspeição contra Moro
  • 11:07 Seja parceiro do Antropofagista
  • 09:36 Adriano da Nóbrega depositou 400 mil na conta de Queiroz que fez depósitos na conta de Michelle
  • 22:24 Moro finge lamentar 100 mil mortes e Kennedy Alencar fuzila: Hipócrita. Colocou o genocida no poder

Os profissionais da saúde que se encontram em brigadas médicas, formam uma barreira humana para impedir que a polícia mate os indígenas que se encontram nas pousadas com os seus filhos!!

Equador 🇪🇨 em resistência contra o governo de direita e as receitas do FMI.

Sputinik – Moradores de Quito tomaram as ruas novamente neste domingo (13) apesar de um toque de recolher de 24 horas imposto pelo Exército.

A nova manifestação ocorre em meio ao cenário de destruição deixado pelos atos violentos de sábado e o cancelamento da rodada de diálogo entre o presidente Lenín Moreno e a Confederação de Nacionalidades Indígenas do Equador (Conaie), que havia sido prevista para este domingo (13).

O governo e os manifestantes indígenas planejavam iniciar negociações com o objetivo de neutralizar mais de uma semana de atos contra o plano de remover os subsídios de combustíveis, medida de um acordo de austeridade do país com o Fundo Monetário Internacional (FMI). Os protestos paralisaram a economia do Equador e cortaram mais da metade da produção de petróleo do país, a exportação mais importante do Equador.

De acordo com a Organização das Nações Unidas (ONU), o diálogo entre Moreno e os manifestantes foi cancelado por conta de “dificuldades operacionais”.

Celeste Silveira

RELATED ARTICLES
LEAVE A COMMENT

Comente

%d blogueiros gostam disto: