17 de maio de 2021
  • 16:22 China anuncia apoio à quebra de patentes das vacinas contra Covid e Lula diz, “gesto histórico”
  • 14:48 CPI vai pressionar Pazuello sobre terceiros, e Planalto teme depoimento de Ernesto
  • 13:18 CPI deve quebrar sigilos de Carlos Bolsonaro
  • 11:37 Bolsonaristas perdem força em debate sobre CPI da Covid no Twitter
  • 10:21 CPI vai descobrindo quem mandou e quem obedeceu nos crimes da pandemia

Segundo o Financial Times, os dados econômicos do Brasil já não são confiáveis como eram antigamente.

Imagina se o jornal comparar como fazemos todos os dias os preços nos supermercados e a inflação anunciada pelo governo Bolsonaro.

Seria muita ingenuidade os analistas internacionais acreditarem num governo formado por vigaristas e milicianos.

Qual a dúvida que o Financial Times teria em relação a economia brasileira? Olha o preço da carne, olha o preço da cesta básica, olha o preço da gasolina, olha o preso do dólar , tem alguma dúvida que o Brasil está indo para o abismo e Paulo Guedes especulador vigarista mentindo?

A controvérsia foi criada pela revisão contínua dos dados de exportação pelo ministério da Economia apresentados hoje (3) pelo IBGE. Segundo Jonathan Wheatley, para o Financial Times, a dúvida sobre a confiabilidade dos dados econômicos oficiais do Brasil ocorreu por desconfiança de ‘maquiagem’ dos números ou incompetência.

A queda das exportações do Brasil acumulada entre janeiro e outubro e a desvalorização do real perante o dólar projetavam um cenário muito mais grave do que foi apresentado ao mundo.

O primeiro estranhamento foi referente as exportações brasileiras de novembro, apresentado na semana passada, que foi de US$ 9,7 bilhões. Porém, esse dado foi revisado na quinta-feira (28) para US$ 13,5 bilhões. Isso impactou nas bolsas de valores ao redor do mundo, fazendo com que o real tivesse valorização em relação ao dólar.

Segundo o ministério da Economia brasileiro, os dados do terceiro trimestre inteiro foram subnotificados por falhas no registro de declarações, e serão corrigidos para cima. Porém, se compararmos o estoque altíssimo de produtos nas empresas, uma informação também disponível, há uma incongruência.

As opiniões acerca do porquê do fato levantaram suspeitas de maquiagem de números ou mesmo incompetência e negligência. Curiosamente uma das referências do neoliberalismo econômico deixa no ar ao final da nota a possibilidade dos erros serem frutos das medidas de austeridade aplicadas por Guedes.

 

*Com informações do Reconta Aí

*Foto: DCM

Celeste Silveira

Produtora cultural, parecerista de projetos culturais em âmbito nacional

RELATED ARTICLES
LEAVE A COMMENT

Comente

%d blogueiros gostam disto: