15 de junho de 2021
  • 22:12 Número de cidades que confirmam manifestações no 19J salta de 74 para 180 em um dia; veja a lista
  • 20:18 A certeza da impunidade de Bolsonaro e de seus filhos escancara a fragilidade das instituições brasileiras
  • 18:48 TCU cria comissão “linha duríssima” para investigar auditor responsável por relatório que questiona mortes por Covid
  • 17:40 Contra a privatização, funcionários da Eletrobras anunciam greve de 72 horas
  • 16:24 Haia, vai decidir se investiga Bolsonaro por crimes contra índios

Dados recebidos durante a noite pela Organização Mundial da Saúde (OMS) sobre o avanço da pandemia pelo planeta foram considerados como “alarmantes” pelos técnicos da entidade com sede em Genebra.

A entidade ainda está reunindo as informações consolidadas e deve publica-los pela tarde desta terça-feira. Mas, em uma conversa com jornalistas na Suíça, representantes da agência indicaram que o mundo irá registrar um “aumento significativo” em comparação ao que existia na segunda-feira.

Oficialmente, a OMS contabiliza 334 mil casos até a noite de ontem, com 14,5 mil mortes. “Mas devemos nos preparar para um salto importante, com base nos dados que recebemos ao longo da noite”, indicou Margaret Harris, porta-voz da OMS.

Segundo ela, 85% de todos os novos casos estão sendo registrados na Europa e EUA. Mas rapidamente a situação americana está se deteriorando. 40% de todos os novos casos seriam americanos.

“Há um enorme surto e que está aumentando”, explicou. Para a OMS, os EUA têm o potencial de se transformar no novo epicentro da pandemia no mundo “Estamos vendo uma progressão muito rápida no número de casos nos EUA”, alertou Harris.

Até hoje, 35 mil pessoas nos EUA tinham sido contaminadas pelo vírus.

Imagem atrasada

De acordo com a OMS, os números que o mundo conhece hoje da pandemia são, no fundo, uma imagem do que era a transmissão há cinco ou seis dias.

Para Harris, as medidas de distanciamento social são importantes. Mas apenas uma reação “agressiva” dos governos para testar, isolar e identificar as pessoas pode controlar a pandemia.

A quarentena, para ela, é importante para “comprar tempo”. Mas tais confinamentos não podem ser as únicas medidas adotadas.

 

*Jamil Chade – Uol

Celeste Silveira

Produtora cultural, parecerista de projetos culturais em âmbito nacional

RELATED ARTICLES

2 COMMENTS

  1. Pingback: OMS: EUA pode ser o novo epicentro da pandemia de coronavírus  – Brasdangola Blogue
  2. Magda ferreira santos Posted on 24 de março de 2020 at 12:43

    CADA VEZ MAIS EU TORÇO PELO VÍRUS POIS PODE PARECER ABSURDO, MAS ESTÁ FAZENDO UMA FAXINA NOS CENTROS MAIS MENTALMENTE POLUÍDOS: SÃO PAULO, ESTADOS UNIDOS, E OUTROS. ACHO QUE A HUMANIDADE SOBRANTE VAI SER DE OUTRA ESTIRPE!

    Reply
LEAVE A COMMENT

Comente

%d blogueiros gostam disto: