4 de julho de 2020
  • 20:50 Dilma denuncia crime de traição nacional pela Lava Jato por ter trabalhado para os EUA
  • 17:01 Pauliceia desvairada: Não é um vídeo do Porta dos Fundos, é a mulher do Dória e uma perua falando dos pobres
  • 14:57 Operação da Lava Jato contra Serra diz mais de Moro, Dallagnol e Carlos Fernando do que do acusado
  • 12:41 Queiroz e mulher fraudam documentos na Alerj e recebem R$ 376 mil em auxílio-educação
  • 11:04 Leandro Fortes: Lava Jato vai para cima do moribundo Serra com uma década de atraso

Dezenas de funcionários do Ministério da Saúde decidiram demonstrar apoio a Mandetta nesta segunda-feira (6).

Cotado para assumir o posto de Mandetta, o ex-ministro da Cidadania Osmar Terra defende abertamente o isolamento restrito a grupos de risco, o que contraria a atual orientação do Ministério da Saúde e da Organização Mundial da Saúde (OMS). Ele faz eco, contudo, ao posicionamento do próprio presidente, Jair Bolsonaro (sem partido), que se desentendeu com Mandetta justamente por causa da política de contenção à Covid-19.

“O sentimento é de quebra de um trabalho que estava sendo muito bem-feito. Não dá para acreditar que, justo neste momento decisivo de ações, haverá uma troca de líder”, disse um técnico que aguardava um notícia em frente ao ministério e que não quis se identificar.

Os profissionais se reuniram em frente à portaria da sede da pasta em Brasília para aplaudi-lo, independente da palavra final de Bolsonaro, e colocaram nas janelas folhas com mensagens como “fica, Mandetta”.

O fato é que Bolsonaro não governa mais.

Não tem respeito da tropa e nem lastro político no congresso para seguir governando o país.

Os Bolsominions piram quando leem essas noticias, mas nada podem fazer além de frases prontas e puídas que não contam mais nada.

Bolsonaro está na cova que cavou junto com os próprios filhos.

 

*Da redação

Celeste Silveira

RELATED ARTICLES
LEAVE A COMMENT

Comente

%d blogueiros gostam disto: