1 de outubro de 2021
  • 18:58 Bolsonaro anunciou R$ 3 bilhões, mas Petrobras destinará R$ 300 milhões para custear gás aos mais pobres
  • 17:42 MPF vai investigar suposta ação de Michelle Bolsonaro na Caixa para ajudar amigos
  • 15:24 Novo escândalo com Michelle mostra que não se é casado com Bolsonaro impunemente
  • 14:10 Em nome dos interesses da burguesia, mídia caminha a passos largos para defender continuidade de Bolsonaro até 2026
  • 11:33 Mensagens de celular de Bolsonaro serão incluídas no relatório da CPI

Ex-presidente do PT foi entrevistado nesta segunda pelo jornalista Breno Altman; conversa girou em torno da conjuntura política no Brasil e a situação mundial com saída de Trump.

O ex-presidente do Partido dos Trabalhadores (PT) e ex-ministro José Dirceu afirmou nesta segunda-feira (18/01), em entrevista a Breno Altman, durante o programa 20 Minutos, que a urgência nacional deste momento é a saída de Jair Bolsonaro da presidência do país.

Segundo ele, a principal “tarefa” é retirar Bolsonaro do poder, já que, para ele, o presidente brasileiro está “fora de controle”. “Vivemos uma conjuntura agora que nossa principal tarefa é tirar o Bolsonaro da frente, se for isso mesmo de estarmos caminhando para uma tragédia nacional [..] O que vai mudar é a mobilização popular, porque temos o problema da pandemia. O papel nosso do PT é ser a vanguarda da luta pelo Fora Bolsonaro. É uma questão de vida ou morte para o país é tirar o Bolsonaro”, disse.

Dirceu afirmou ser necessário uma frente de esquerda para organizar uma frente democrática contra Bolsonaro, “se aliar aos setores que forem contra” o presidente. “Se não acontecer pelas nossas mãos, será pela direita. O clima político mudou e algo está se movendo no país”, declarou apontando que certas “bandeiras sociais” estão sendo tomadas por setores liberais.

O ex-ministro disse que há uma elite no Brasil que possui uma “dualidade” e que tende a preservar seu status quo e privilégios com uma agenda de reformas não somente neoliberais.

“A agenda da direita não será uma só de reformas neoliberais. Eles não têm como não sustentar que o país precisa de uma outra política científica, educacional e de manter o Sistema Único de Saúde (SUS) e o ampliar. […] Nós não devemos confiar na direita e entregar para que ela acredite no que o Brasil precise, que é superar o Bolsonaro. A esquerda tem que propor isso e sermos direção”, afirmou.

*Ópera Mundi

Siga-nos no Whatsapp: https://chat.whatsapp.com/HP8y7rcSg0Z5XQeXMYWpd8

Apoie o Antropofagista com qualquer valor acima de R$ 1,00

Caixa Econômica: Agência 0197
Operação: 013
Poupança: 56322-0
Arlinda Celeste Alves da Silveira
CPF: 450.139.937-68

PIX: 45013993768
Agradecemos imensamente a sua contribuição

Celeste Silveira

Produtora cultural

RELATED ARTICLES
LEAVE A COMMENT

Comente

%d blogueiros gostam disto: