25 de julho de 2021
  • 14:52 Ciro Nogueira é investigado em inquéritos sigilosos por beneficiar empreiteiras
  • 14:11 Pegasus: vazamento revela abuso de espionagem cibernética
  • 12:05 Investigado por tráfico de influência, filho de Bolsonaro fez permuta para se hospedar em ‘casa dos sonhos’
  • 11:11 Brian Mier, jornalista norte-americano, avisa: ‘EUA vão armar um novo golpe contra Lula’
  • 10:22 Como Braga Netto tentou operação Davati quando interventor no Rio

O discurso que Bolsonaro utilizou para consumo eleitoral e, covardemente, para fugir do debate, era que ele, a partir de “valores morais” estava completamente afastado da suposta velha política.

Essa foi a maneira que ele encontrou de se refugiar com um autoelogio de um debate efetivamente político.

O principal inimigo de Bolsonaro era o PT, porém, usou o centrão como exemplo de precariedade ética, mesmo sendo eleito deputado pelo PP, quando se candidatou à presidência da República, mas dizendo que, apesar disso, não cheirava igual aos políticos dos partidos do centrão.

Mas que ele sim, tinha uma boa causa para o país em busca de prosperidade, reduzindo ao máximo qualquer influência política na escolha dos quadros do seu ministério que, segundo ele, além de terem uma moralidade inabalável, seus ministros teriam uma capacidade técnica que os permitiriam assumir os referidos ministérios.

Na verdade, Bolsonaro veio de um gueto político, para ser mais explícito, de uma rapa do tacho do próprio centrão, o centrão que, agora, o mesmo Bolsonaro usa como escudo de seu mandato, pois do contrário, cai.

E aonde foi parar aquele discurso cheio de princípios contra o centrão? Desapareceu, pior, Bolsonaro multiplicou a importância do centrão para saúde da vida nacional e disse que, mais do que essa aliança, ele, originalmente, é do centrão.

Nada como um dia após o outro para se ver o que as cartas reservaram para os hipócritas.

Bolsonaro, com essa declaração dada hoje, confessa-se incapaz de fazer qualquer coisa para salvar o seu mandato sem a muleta do centrão, apoio que naturalmente vai lhe custar ainda mais caro. Afinal, poucos conhecem tão bem quanto ele como é feito o cálculo político dentro do centrão.

Como a sua continuação na cadeia da presidência está ainda mais subordinada ao centrão, porque não tem condições de continuar a caminhar sozinho, por total falta de apoio político, Bolsonaro que entregou os anéis, os dedos e terá que entregar a partir de então, as mãos, os braços e as pernas para não perder a cabeça.

Siga-nos no facebook: https://www.facebook.com/Antropofagista-Jornalismo-109522954746371/

Siga-nos no Whatsapp: https://chat.whatsapp.com/H61txRpTVWc7W7yyCu0frt

Apoie o Antropofagista com qualquer valor acima de R$ 1,00

Caixa Econômica: Agência 0197
Operação: 013
Poupança: 56322-0
Arlinda Celeste Alves da Silveira
CPF: 450.139.937-68

PIX: 45013993768
Agradecemos imensamente a sua contribuição

Carlos Henrique Machado

Compositor, bandolinista e pesquisador da música brasileira

RELATED ARTICLES
LEAVE A COMMENT

Comente

%d blogueiros gostam disto: