30 de setembro de 2021
  • 17:32 Pesquisa Ipespe: Lula está 15 pontos à frente de Bolsonaro e venceria adversários no segundo turno
  • 15:50 Ciro Nogueira deu cargo com salário de R$ 13 mil à esposa de seu secretário-executivo
  • 15:14 Lula obtém sua 20ª vitória na justiça contra Moro e caso do sítio de Atibaia é enterrado
  • 13:21 Vídeo: Em Minas, Bolsonaro é vaiado, escrachado e xingado
  • 10:17 Para chaleirar Bolsonaro, Véio da Havan usou a própria mãe como cobaia do kit cloroquina

É difícil definir a personalidade daquela figura tosca que, em última análise, representa muito do empresariado brasileiro contemporâneo.

Tudo bem que Skaf, da Fiesp, não se vista como se fosse um Pedro de Lara tardio, mas tão bolsonarista quanto o Véio da Havan, Skaf vende a imagem do escrúpulo da Fiesp e da sua bajulação ao genocida.

Sobre Luciano Hang, a própria Abin já havia alertado Bolsonaro que ele era a imagem da sujeira. Imagina isso, pensar que ainda existe alguma coisa pior que Bolsonaro, a quem, segundo a Abin, o presidente não deveria associar a sua imagem, por se tratar de um queima filme, na linguagem da milícia sujeira.

Isso dá a exata e proporcional noção do tamanho do caráter do sujeito que, ontem na CPI, em seu espetáculo de vaidade e marketing, usou a própria língua como corda para se enforcar, admitindo de maneira monstruosa que usou a mãe como cobaia do kit covid para agradar Bolsonaro e obter vantagens.

Talvez por isso, mesmo a Abin tendo alertando Bolsonaro sobre os riscos de sua proximidade pública com o empresário, pelo fato de ser agiota, sonegador e contrabandista, parece que Bolsonaro não se importou com o documento elaborado pelo órgão em 2020, um compilado de investigações que recaem sobre o empresário bugigangueiro. Era um alerta de luz amarela como a própria gravata do idiota que, na CPI, vomitou astúcia nos negócios, empreendedorismo na veia e conquistas como um verdadeiro “vencedor”.

Lógico que Hang manteve em sigilo a revelação da Abin e que a CPI já tinha informações que chegaram pelo portal Uol.

No panorama traçado pela Abin sobre o histórico de Hang, levantado por investigadores do órgão, consta que ele tinha apenas 21 anos quando ingressou no mundo dos negócios até os dias que correm.

Entre os escândalos que envolvem o vigarista verde e amarelo, a análise de dados destaca que a coisa era muito pobre, pois o custo fixo mensal das lojas, era simplesmente cinco vezes maior que o faturamento, o que quebraria as lojas em pedacinhos.

Mas o Midas de Santa Catarina vomitou suas fanfarronices ontem para explicar como usou a própria mãe como cobaia, que acabou falecendo, fazendo analogias sobre sua forma de ação no mundo dos negócios, como um empresário de sucesso.

Talvez empolgado com a Lava Jato, Luciano Hang, sabendo que a CPI tinha em mãos documentos do Ministério Público sobre uma investigação contra ele por lavagem de dinheiro, remessa ilegal, sonegação fiscal, contrabando de importados e evasão de divisas, partiu para o marketing pessoal.

Mas na era do marketing, diante da claque de idiotas que se ajoelham para Bolsonaro, a monstruosidade pode ganhar alguns pontinhos no Ibope do vigarista. Mas tudo indica que o sujeito saiu de lá muito mais encrencado do que entrou, mesmo que fizesse toda aquela fumaceira, era nítido que, tanto Renan Calheiros, quanto Aziz e Randolfe, estavam diplomaticamente encurralando o esperto para que ele apenas complementasse a ficha suja do contraventor fantasiado de empreendedor exótico e enquadrá-lo em vários crimes, inclusive no mais monstruoso deles cometido contra sua própria mãe.

Apoie o Antropofagista com qualquer valor acima de R$ 1,00

Caixa Econômica
Agência 0197
Operação 1288
Poupança: 772850953-6
Arlinda Celeste Alves da Silveira
CPF: 450. 139.937-68
PIX: 45013993768

Agradecemos imensamente a sua contribuição

Carlos Henrique Machado

Compositor, bandolinista e pesquisador da música brasileira

RELATED ARTICLES
LEAVE A COMMENT

Comente

%d blogueiros gostam disto: