14 de agosto de 2022
  • 18:32 Bolsonaro diz que rachadinha é ‘meio comum’
  • 17:38 Por interferência, delegado do caso Milton Ribeiro pede ao STF a prisão da cúpula da PF
  • 16:52 Vídeo: Em entrevista, advogado do “hacker” Delgatti, conta como foi encontro com Zambelli
  • 15:55 Em vídeo, Lula se compromete a manter Auxílio Emergencial permanente
  • 15:04 As eleições começam no dia 16 com Lula na TV falando com o povo

Se o brasileiro sofreu a censura econômica de não poder comprar um único bife bovino e muitos foram parar na fila do osso, por conta dos abusivos preços das carnes e, mesmo assim não é a carne que apresenta preços com as maiores altas, e sim, os combustíveis, o café e o gás de cozinha, itens também essenciais para o cotidiano dos brasileiros, é porque há um claro descontrole generalizado da economia, melhor dizendo, uma perda total de rumo de um governo que, diante de uma inflação incontrolável, não tem a mínima ideia de onde começa a orelha e onde termina o rabo do bicho.

É um desnorteio absolutamente total, um desequilíbrio e uma desorientação do governo até então desconhecida pelos brasileiros.

O Brasil está diante de uma economia tão desgovernada que está sendo considerada uma tempestade perfeita, interna e externamente.

O mercado de livre arbítrio que, na verdade, é controlado por grandes empresários e banqueiros, na composição de interesses entre governo e plutocracia, deu no que deu. Não há qualquer restrição a taxas de juros chegando a 1000% ao ano o crédito pessoal porque não há gestão da economia, não há gerenciamento, não há direção. E se não há comando, não há controle. E se não há controle, o que há é manipulação dos grandes especuladores.

Ou seja, o mercado como mediador, e não o Estado, a partir de um monitoramento, com uma fiscalização criteriosa, produziu uma sensação generalizada de terra arrasada dentro do país.

E tudo indica que esse “autodomínio” do mercado sem qualquer contenção pelo Estado é que vai nortear a economia trágica em 2022. E o resultado será o sinônimo disso, porque o governo não tem o controle e não quer ter o controle da situação. O governo não fiscaliza e nem administra, tudo é definido pela plutocracia que, em português bem claro, que dizer os abutres do Brasil, os agiotas, os usurários, os avarentos que têm menos humanidade que o próprio Bolsonaro.

Essas aves de rapina, que se alimentam da tragédia alheia, não sentem compaixão por ninguém, ao contrário, diante da fome, da miséria, inclusive de velhos e crianças, tiram proveito da infelicidade dos miseráveis para ampliar suas fortunas.

Quando Bolsonaro dizia que entregaria a economia nas mãos de um banqueiro da pior espécie, chamado Paulo Guedes, classificando-o como Posto Ipiranga, tinha plena consciência do caráter nenhum do indivíduo. Mas por isso mesmo teve total apoio da mídia, dos banqueiros e rentistas justo porque ele massacraria, como massacrou, a imensa maior parte do povo brasileiro.

É esse o retrato da inflação brasileira. Não é por demanda ou qualquer lógica econômica, é a lógica da terra sem lei, do malboro econômico, do cangaço especulativo e da lei do mais forte fermentados por uma mídia que mente descaradamente tanto quanto Bolsonaro, pois cada passo desse caminho trágico em que o país se encontra foi regiamente comemorado como a salvação da lavoura brasileira.

O resultado está aí marcado a ferro e fogo nas costas dos brasileiros, pior, daqui a cinco meses estes terão saudade da tragédia que vivem hoje.

Nada disso foi sem querer, tudo foi feito com caso pensado para levar o país à ruína e beneficiar o 1% mais rico do Brasil, além de atender aos interesses dos EUA.

Telegram

Caros Leitores, precisamos de um pouco mais de sua atenção

Nossos apoiadores estão sendo fundamentais para seguirmos nosso trabalho. Leitores, na medida de suas possibilidades, têm contribuído de forma decisiva para isso. Agradecemos aos que formam essa comunidade e convidamos todos que possam a fortalecer essa corrente progressista. Seu apoio é fundamental nesse momento crítico que o país atravessa para continuarmos nossa labuta diária para trazer informação de qualidade e independência.

Apoie o Antropofagista com qualquer valor acima de R$ 1,00

Caixa Econômica

Agência: 0197
Operação: 1288
Poupança: 772850953-6

PIX: 45013993768

Agradecemos imensamente a sua contribuição

Carlos Henrique Machado

Compositor, bandolinista e pesquisador da música brasileira

RELATED ARTICLES
LEAVE A COMMENT

Comente

%d blogueiros gostam disto: