22 de maio de 2022
  • 11:59 Após 665 mil mortes, Queiroga dirá na OMS que Brasil acertou na pandemia
  • 10:43 É preciso remover o bolsonarismo no 1º turno, porque ele é o chorume do lixo da Globo
  • 16:23 Não sei se Duvivier foi bem no debate, mas sei que Ciro foi mal
  • 11:15 Sem abrir vagas suficientes, prefeitura deixa 15 mil pessoas no frio das ruas de São Paulo
  • 10:12 Elon Musk: “Vamos dar golpe em quem quisermos! Lide com isso”

Chefe do Centro Nacional de Gerenciamento de Defesa da Rússia, Mikhail Mizintsev falou sobre os progressos da operação militar especial na Ucrânia e denunciou o assassinato de civis por parte dos batalhões nacionalistas.

Em um comunicado divulgado neste domingo (20) pelo Ministério da Defesa russo, Mikhail Mizintsev disse que Moscou apelou para que “Kiev seja sensata e cancele” as ordens que obrigavam os militantes em Mariupol a serem mártires.

Os militares russos também instaram as autoridades locais da cidade. “Agora você tem o direito de fazer uma escolha histórica: ou você está com seu povo, ou está com bandidos”, afirma a nota.

“Os neonazistas ucranianos organizaram o terror implacável nos bairros de Mariupol que ainda controlam, onde matam diariamente entre 80 e 235 cidadãos”, denunciou Mizintsev.

O general enfatizou que estes são os números dos últimos três dias, durante os quais o lado russo recebeu “informações confiáveis ​​indicando as terríveis atrocidades dos militantes, que perderam a cabeça em desespero”.

“Em Mariupol, como resultado do caos organizado pelos nacionalistas ucranianos, eclodiu a pior catástrofe humanitária. Os bandidos desesperados e perdidos, percebendo a impossibilidade de Kiev ajudá-los, organizaram o terror em massa nos bairros da cidade”, afirmou.

Para salvar civis, o Ministério da Defesa russo anunciou a abertura de corredores humanitários a a partir desta segunda-feira (21).

A proposta consiste na organização de uma retirada de militares ucranianos e mercenários estrangeiros sem armas (neste caso, eles têm a garantia de salvar suas vidas). Depois, deve seguir-se a passagem de comboios humanitários para a cidade e a evacuação de civis.

Representantes da ONU, OSCE, Cruz Vermelha foram convidados a acompanhar a operação humanitária. Até 130.000 civis estão sendo mantidos reféns por nacionalistas ucranianos em Mariupol, disse Mikhail Mizintsev.

“Segundo nossas informações, até 130.000 civis e 184 cidadãos estrangeiros de seis países estão atualmente reféns na cidade”, afirmou.

Nos últimos três dias, as tropas russas ajudaram a evacuar 59.304 pessoas, incluindo 139 cidadãos estrangeiros.

Neste domingo (20), a Rússia evacuou mais de 16.000 pessoas, das quais 2.000 são crianças, das áreas de hostilidades na Ucrânia e nas repúblicas de Donbass sem a ajuda de Kiev, disse Mizintsev.

No total, desde o início da operação militar, 330.686 pessoas, incluindo 68.983 crianças, foram evacuadas, segundo o oficial.

*Com Sputnik

Siga-nos no Telegram

Caros Leitores, precisamos de um pouco mais de sua atenção

Nossos apoiadores estão sendo fundamentais para seguirmos nosso trabalho. Leitores, na medida de suas possibilidades, têm contribuído de forma decisiva para isso.

Agradecemos aos que formam essa comunidade e convidamos todos que possam a fortalecer essa corrente progressista. Seu apoio é fundamental nesse momento crítico que o país atravessa para continuarmos nossa labuta diária para trazer informação de qualidade e independência.

Apoie o Antropofagista com qualquer valor acima de R$ 1,00

Caixa Econômica

Agência: 0197

Operação: 1288

Poupança: 772850953-6

PIX: 45013993768 – CPF

Agradecemos imensamente a sua contribuição

Celeste Silveira

Produtora cultural

RELATED ARTICLES
LEAVE A COMMENT

Comente

%d blogueiros gostam disto: