Categorias
Opinião

Estado terrorista de Israel matou 200 palestinos nesta sexta e Professor Hoc retoma o lero lero nas redes

É tudo sincronizado, o Estado de Israel assassina 200 civis em um dia e, imediatamente, seus adestrados cães de guarda começam a saracotear nas redes para explicar mais um capítulo do genocídio promovido pelos sionistas na Palestina.

O problema é que, como nunca tinham sido frontalmente combatidos, principalmente nas redes, quando criavam suas fantasias, a reação contra esse tipo de embuste como o do professor Hoc está provocando ainda mais amesquinhamento, irritação, desespero, angústia, medo e mania de perseguição dos que defendem toda aquela fria covardia de Israel contra o povo palestino que alarma o planeta.

Ou seja, o ovo de Colombo de Israel não vinga, modifica-se o palavrório, a rotina, mas deixa de fora um rabo bruto que permanece denunciando a mentira que os sionistas contam sobre a ocupação, o massacre e roubo das terras palestinas.

Com isso, cada vez mais, Israel é visto pelo mundo como bárbaro, cruel, comparado aos senhores de engenho e seus capatazes contra os negros escravizados nas américas.

Não há como explicar isso. Na verdade, não há como prever o futuro de Israel, se é que terá futuro, até porque o pior do seu inferno moral ainda está por vir, e as razões transbordam desgraçadamente sobre crianças, bebês, mulheres, incluindo as grávidas, doentes, idosos, enfim, a população civil desarmada e totalmente inocente.

Não há notinhas, falação, ilusionismos retóricos capazes de mudar essa coisa sem cura chamada Estado terrorista de Israel.

Categorias
Opinião

A visita de Elon Musk a Israel e a tentativa inútil de Netanyahu de segurar com as mãos os ventos contrários

O sionistas já perderam, e não foi nesse episódio do dia 7 de outubro, este apenas serviu para sacramentar que Israel é, com todas as letras, um Estado Terrorista, que vem sendo denunciado há 75 anos e se achava blindado. Agora, descobriram que se iludiram com a própria arrogância.

Atendendo à pressão inútil dos sionistas, Elon Musk desembarcou em Israel nesta segunda-feira, 27. Musk conheceu o genocida Netanyahu, que tem como objetivo deitar falação para pressionar Musk a tomar medidas para calar, no Twitter, os críticos do terrorismo de Israel.

Alguém precisa dizer aos sionistas em alguns desses simpósios do fim do mundo, promovido para fazer propaganda de Israel, que a pasta de dente não tem como voltar para o tubo depois que saiu. Nesse caso, são 75 anos que os olhos do mundo fotografam os massacres na Palestina.

O que houve foi um desbloqueio emocional no mundo contido durante décadas que os sionistas julgavam inofensivos diante da “grandeza de Israel”. Erraram feio porque não conheciam a fundo o perfil de cada ser humano que hoje se levanta contra o genocídio sionista na Palestina.

Sabemos que é grande a pressão dos sionistas para que as Big techs, ou gigantes de tecnologia, que são as grandes empresas que exercem domínio no mercado de tecnologia, censurem tudo e todos que criticarem Israel com a lenga lenga de “antissemitismo”.

Nós, como tantos blogs ou canais no Youtube, sofremos retaliações por conta de nosso posicionamento independente, não só no caso do massacre sionista em Gaza. Na guerra entre Russia x Ucrania do sionista Zelensky, o mesmo se deu. Quem fizesse críticas a Ucrânia seria desmonetizado.

O jogo dessa gente é pesado, mas inútil.
É só observar a derrota da Ucrânia e a virada de costas que Zelensky sofre hoje das potências ocidentais. Essa gente pode muito, mas não pode tudo, sobretudo contra a população mundial. Cedo ou tarde, o Estado terrorista de Israel vai entender isso.

Categorias
Mundo

Presidente da Turquia afirma que Israel é um ‘Estado terrorista’

Em discurso, Erdogan mandou recado ao premiê israelense Benjamin Netanyahu: ‘seu fim está próximo, quer você tenha armas nucleares ou não’.

O presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, realizou discurso nesta quarta-feira (15/11) um discurso marcado por fortes acusações contra o Estado de Israel e seu primeiro-ministro, Benjamin Netanyahu.

Segundo o jornal turco Sabah, Erdogan realizou um pronunciamento para explicar a recente denúncia que seu país promove contra o premiê israelense Benjamin Netanyahu no Tribunal Penal Internacional (TPI), em Haia. “É preciso dizer isso claramente: Israel é um Estado terrorista. Israel está cometendo crimes de guerra na Faixa de Gaza”.

A Turquia acusa Netanyahu de cometer um genocídio contra os palestinos residentes na Faixa de Gaza. O documento enviado ao TPI foi divulgado nesta terça-feira (14/11) pelo partido governista turco Justiça e Desenvolvimento (de direita).

Além da ação apresentada em Haia, o governo de Erdogan também tenta articular com líderes de países que se abstiveram na votação de uma resolução da Assembleia Geral da ONU por um cessar-fogo em Gaza, para aumentar o bloco que busca pressionar Israel a retroceder em sua ofensiva contra o território palestino.

*Opera Mundi

Categorias
Opinião

Qual a diferença da Alemanha Nazista para Estado terrorista de Israel?

O Estado terrorista de Israel está condenado à morte.
Por isso chego a pensar que Benjamin Netanyahu opera esse genocídio na Palestina, usando bombas de fósforo, para desmoralizar de vez o estado sionista, como vingança por sua inevitável queda, seguida prisão por corrupção.

Só uma autodestruição por vingança fatal explica a atitude tão descarada parecendo que Netanyahu quer confrontar todo mundo civilizado até Israel não existir mais como Estado.

Assim como o Nazismo, o Sionismo será varrido do mapa e levará junto o Estado de Israel. Cada ataque do seu exército contra civis inocentes na palestina, sobretudo crianças e mulheres, mais engrossa no planeta o coro contra os sionistas. Netanyahu quer isso e dobrará a aposta.

Categorias
Opinião

Todo mundo pode chamar o Hamas de terrorista, menos o Estado terrorista de Israel

Bertolt Brecht: “Do rio que tudo arrasta se diz que é violento. Mas ninguém diz violentas as margens que o comprimem”

É bom repetir interrogativamente o que significa a palavra terrorismo. Lembre-se que o Hamas, classificado pelos sionistas como grupo terrorista, nasce 40 anos depois que o Estado terrorista de Israel já barbarizava a Palestina.

Ou seja, quem chocou o terrorismo do Hamas foi o Estado terrorista de Israel. A idade das coisas desbanca as narrativas funestas dos sionistas.

Contar a história da Palestina, de 1948 até aqui, para dar luz a um debate sem que se fale do terrorismo contra o povo palestino desde sempre, tentando atribuir ao Hamas, e apenas a ele, a pecha de terrorista, é ridículo.