12 de maio de 2021
  • 19:54 PF pede ao STF abertura de inquérito para investigar suspeita de pagamentos a Toffoli por venda de decisões
  • 18:34 Randolfe pede que TCU investigue gastos de churrasco de Bolsonaro: picanha a R$ 1.799,99 o quilo
  • 16:28 Vídeo – Massacre: Israel bombardeia a Palestina
  • 15:49 Negando o “tratoraço”, Bolsonaro chama jornalistas de “canalhas”
  • 14:00 Diretor-presidente da Anvisa diz que proposta de mudança da bula da cloroquina partiu da imunologista e oncologista Nísia Yamaguchi

Cesar Mata Pires Filho morreu dias após infarto sofrido durante depoimento à Lava Jato.

Poderia ser uma investigação séria, que identificasse os crimes e punisse os culpados. A Lava Jato quis mais. Passou a espalhar o terror, o medo, a destruição sistemática das empresas e as ameaças recorrentes contra os réus.

Conseguiu um feito à altura da Mãos Limpas. Graças a esse clima de terror, em 2017 morreu César Pires, de infarto. Hoje, morre o filho Cesar Mata Pires, 41 anos, também de infarto.

A cerimônia de despedia ao herdeiro da companhia OAS, Cesar Mata Pires Filho, de 40 anos, movimentará o cenário político brasileiro.

Pires Filho tinha relações familiares com os principais clãs políticos do nordeste brasileiro. Ele era neto do falecido senador Antonio Carlos Magalhães (DEM-BA). Além disso, era casado com Manuella Paes de Andrade Lopes Oliveira, filha do ex- presidente do Senado Eunício de Oliveira (MDB-CE).

Em 2017, seu pai, fundador da OAS, César Mata Pires, também morreu vítima de um infarto sofrido durante uma caminhada em São Paulo.

Ele era acusado de pagar propinas ao PT e a agentes públicos na construção de um prédio da Petrobras em Salvador.

Incluam-se nessa conta Marisa Letícia e Luiz Carlos Cancellier.

 

*Com informações do GGN

Celeste Silveira

Produtora cultural, parecerista de projetos culturais em âmbito nacional

RELATED ARTICLES
LEAVE A COMMENT

Comente

%d blogueiros gostam disto: