18 de setembro de 2021
  • 12:11 Governo Bolsonaro é criticado pela ONU por esvaziar proposta contra vigilância ilegal
  • 10:15 Ana Paula do Vôlei, a bela bruxa da maçã envenenada
  • 09:12 Fachin cobra de Aras nova manifestação sobre denúncia contra Arthur Lira
  • 21:13 Técnicos do Ministério da Saúde ameaçam renúncia coletiva se Bolsonaro não recuar na vacinação de adolescentes
  • 18:29 Vídeo: Com a onda bolsonarista de ódio contra a China, o resultado é este: Homem joga bomba no consulado da China

Lula, que já deu incontáveis entrevistas para diversos veículos de comunicação nacionais e internacionais, entra no campo de batalha política esmagando a desnacionalização da economia brasileira promovida por Bolsonaro, sobre quem Lula diz que faz questão de ser medíocre, defendendo uma forma de governo para o povo brasileiro. E narra, com uma objetividade impressionante, como tratorava as tecnicalidades econômicas para produzir o sucesso extraordinário de um governo reconhecido mundialmente pela inclusão dos pobres no orçamento.

É importante Lula expor como a orientação do seu governo era diametralmente oposta ao de Bolsonaro, servil à elite financeira desse país, a parte que mais ganha e que nada produz.

Lula traz detalhes fundamentais que mostram que suas políticas públicas eram voltadas ao estabelecimento de uma relação do governo com a sociedade a partir de um projeto humanista, trazendo com precisão como a paisagem brasileira se modificou em seu governo.

Em entrevista ao GGN, que conta com as luxuosas participações de Luiz Gonzaga Belluzzo e Eduardo Moreira, é um bálsamo, sobretudo se comparado ao governo Bolsonaro que, em nove meses, só produziu furúnculos e fez o Brasil virar chacota internacional.

Lula também falou de Moro e Dallagnol de forma devida, classificando-os de canalhas, imorais e criminosos. Uma síntese perfeita que não mereceu de Lula perda de tempo para falar de dois lixos.

Essa entrevista é um clássico dos grandes mestres, por isso, vale a pena conferir e observar que Lula não está para brincadeira e parte em velocidade, com a bola dominada, em direção ao gol.

 

*Por Carlos Henrique Machado Freitas

 

Celeste Silveira

Produtora cultural

RELATED ARTICLES
LEAVE A COMMENT

Comente

%d blogueiros gostam disto: