12 de novembro de 2021
  • 22:26 New York Times: Bolsonaro e Trump se uniram para dar golpe nas eleições do Brasil
  • 21:10 Farra de diárias milionárias pode deixar Dallagnol inelegível. “Saltam aos olhos”, diz TCU
  • 18:53 Após ordem contra Allan dos Santos, governo muda regra sobre extradição
  • 16:50 CPI da Pandemia pede indiciamento do vereador Carlos Bolsonaro ao MPRJ
  • 15:28 Neoliberalismo: Enquanto grande parcela do povo passa fome, bancos lucram como nunca

Nisso, não há exatamente novidade, só confirma a total falta de independência do TRF-4, ao contrário do ramerrão que Moro martela, de que não foi ele sozinho que condenou Lula na velha malandragem de desqualificar a sua defesa, quando todos sabiam, pela própria atitude dos desembargadores do TRF-4 e a alegação ridícula utilizada por eles para a ampliação da pena de Lula, que era um jogo de cartas marcadas entre Moro e os três porquinhos.

Jungmann confessa o quanto isso foi feito de forma leviana, com o intuito político de condenar Lula e tirá-lo da eleição de 2018 para que o monstro miliciano assumisse o poder do país e produzisse o que produziu, pior, tendo justamente Moro como Ministro da Justiça e Segurança Pública que se transformou no capanga da milícia.

Ministro Extraordinário da Segurança Pública do golpe, nomeado por Temer, Raul Jungmann confessou em entrevista ao jornalista Fábio Pannunzio que o então presidente do TRF-4, Thompson Flores, pediu-lhe que descumprisse ordem judicial para soltar Lula em 8 de julho de 2018.

Uma revelação bombástica. Raul Jungmann confessou, em entrevista à TV Democracia do jornalista Fábio Pannunzio, ter recebido um pedido ilegal do então presidente do TRF-4, Thompson Flores, para o descumprimento da ordem judicial para soltar Lula em 8 de julho de 2018. A ordem partira do desembargador plantonista do Tribunal Regional da 4ª Região, Rogério Favreto, que determinou a imediata libertação do ex-presidente Lula, que estava preso em Curitiba desde abril daquele ano. Na ocasião, Jungmann era o ministro Extraordinário da Segurança Pública do golpe, nomeado por Temer.

Assista:

Celeste Silveira

Produtora cultural

RELATED ARTICLES

3 COMMENTS

  1. José Cesar Pereira Posted on 22 de fevereiro de 2020 at 15:32

    Esta confissão pública do ex-ministro da defesa e segurança pública de Temer Raul Jungmann é uma escândalo revoltante. O conluio relâmpago entre Moro, ex-juiz ladrão, o presidente do TRF-4 Thompson Flores e a PF para derrubou a decisão do desembargador Favreto (duas vezes) para que Lula fosse libertado. Neta entrevista Jungleman acovardado sequer citou Moro que foi o verme que iniciou toda esta afronta a Constituição por telefone, uma vez que estava de férias. Mais um fato que está registrado na história suja do golpe continuado. #AForçaDaInocênciaDeLulaVencerá

    Reply
  2. Walter Hauer Posted on 22 de fevereiro de 2020 at 21:24

    JUIZ BANDIDO BOM É JUIZ BANDIDO MORTO. Deve ser considerado legitima defesa a execução destas parasitas de toga.

    Reply
  3. Jefferson Posted on 23 de fevereiro de 2020 at 00:37

    Que nojo sinto de todos os golpistas inclusive do tal jungman…

    Reply
LEAVE A COMMENT

Comente

%d blogueiros gostam disto: