9 de janeiro de 2022
  • 21:41 Presidente da Anvisa reage a críticas de Bolsonaro e quer retratação
  • 20:50 Vídeo: Allan dos Santos, foragido da Justiça brasileira, aparece em evento conservador em Orlando
  • 16:51 Quando as diferenças aparecem
  • 14:50 Vídeo: Paredão de cânion em Capitólio (MG) desmorona sobre lanchas; 1 morte confirmada e 15 feridos com gravidade
  • 12:56 Sindicalista: “Governo só beneficia servidores pró-Bolsonaro”

O processo de degradação da economia brasileira foi promovido pelo governo Bolsonaro via posto Ipiranga. Paulo Guedes, por sua vez, vendeu combustível batizado, como fazem as milícias, aquelas que cruzam a história de Bolsonaro.

É fato que as bolsas no mundo todo estão despencando, mas a do Brasil, desaba como jaca mole, enquanto o dólar dispara, produzindo a maior desvalorização da moeda de um país frente ao dólar.

Isso significa que a crise brasileira é pior que a crise dos outros, que os  neoliberais brasileiros são piores que os de outros países, também em crise. No Brasil, a estupidez reina num cenário em que a atividade econômica desaba, a moeda derrete, mas os banqueiros continuam batendo recordes de lucros.

Soma-se a isso o aumento da concentração de renda, que também está no topo como a maior do mundo, a volta da miséria, a mortalidade infantil, inclusive de crianças indígenas, depois que a estupidez de Bolsonaro expulsou os médicos cubanos do país.

O não gostar de Bolsonaro está liberado, achá-lo um idiota, o que de fato é, um fascista que também é, um corrupto que comanda esquemas de laranjas e fantasmas, além de envolvimento com a nata da milícia carioca.

Com tantas atividades e tantas glórias como essas, certamente, o presidente está mais preocupado em salvar a pele de seus filhos, envolvidos até o talo com as milícias, além da sua própria.

O grande parceirão, Queiroz, o miliciano que é a síntese dessa história toda, segue desaparecido sem ser incomodado pela justiça, possivelmente pela blindagem especial que Moro montou para tal operação.

É difícil afirmar se Bolsonaro vai cair, mas é também difícil afirmar que ele não vai cair, já que quadro é de falência total dos órgãos do seu governo. Nenhuma pasta funciona, mas a economia, que é o coração do país, esta apresenta um quadro cada dia mais trágico e tem como resposta do gerente do posto Ipiranga, Paulo Guedes, somente frases de fanfarrão.

Como sabemos que o mercado não chora e nem ri de nada, apenas opera pragmaticamente com sua voracidade especulativa, Guedes hoje é considerado pelos empresarios uma mula manca, tão manca quanto o presidente que ostenta, no primeiro ano, a marca do governo que produziu a maior desvalorização de uma moeda no mundo.

O cara é mesmo um mito. E o gado premiado ainda tem coragem de dizer, foi pra isso que votei nele.

 

*Carlos Henrique Machado Freitas

Celeste Silveira

Produtora cultural

RELATED ARTICLES
LEAVE A COMMENT

Comente

%d blogueiros gostam disto: