24 de outubro de 2020
  • 10:21 Vídeo: O dia em que o verme Russomanno tomou uma invertida humilhante de quem ele quis humilhar
  • 09:43 Russomanno é acusado de extorsão e calúnia no programa Patrulha do Consumidor
  • 00:01 General Heleno, do GSI, confirma que teve reunião com Bolsonaro e advogados de Flávio
  • 23:33 Bolsonaro usa GSI e Abin para anular investigação sobre Flávio, Queiroz e Michelle
  • 20:48 Bonat, o fantoche de Dallagnol, como combinado, torna Lula réu em mais uma ação da Lava Jato

Que esse animal que ocupa a cadeira da presidência da República, está ainda na velha República, ninguém tem dúvida, até porque é um pau mandado da oligarquia. Mas imaginar que ele pudesse propor uma revolta da vacina contra a Covid-19 no momento em que o país chega 122.596 mortos pela doença, ultrapassa todos os absurdos que se pode imaginar.

Bolsonaro quer repetir 1904 quando um motim popular entre 10 e 16 de novembro, foi erguido para atacar a vacinação contra a varíola. O resultado é que um bando de idiotas correu para o twitter para fazer campanha contra a vacina para que as pessoas, em plena pandemia, recusem a tomá-la, contando com a burrice e ignorância do bolsonarismo mais chucro e tosco.

Bolsonaro, não satisfeito em colocar um general, chefe de almoxarifado, na pasta da Saúde, colocou um veterinário para cuidar da vacinação.

Com essa história de que ninguém é obrigado a tomar a vacina e como esses retardados defendem que a terra é plana, Bolsonaro quer voltar a 1904 e fazer com que o Brasil vire um campo de batalha digital para desviar o foco da sua culpa por mais de 122 mil mortos, acrescentando num ménage à trois, milícia de Rio das Pedras, extrema direita religiosa e movimento antivacina. Uma reedição da estupidez do início do século XX. Soma-se a toda essa estupidez a cloroquina que Bolsonaro vai disponibilizar nas farmácias populares.

 

*Carlos Henrique Machado Freitas

 

Celeste Silveira

RELATED ARTICLES
LEAVE A COMMENT

Comente

%d blogueiros gostam disto: