23 de janeiro de 2021
  • 20:34 Vídeo: “As classes hegemônicas decidiram que Bolsonaro é inconveniente a seus interesses”, diz embaixador Samuel Pinheiro Guimarães
  • 17:53 Aras pede abertura de inquérito para investigar conduta de Pazuello em Manaus
  • 16:44 Vídeo – Zé Dirceu: Urgência nacional é o ‘fora Bolsonaro’
  • 14:52 Vídeos: Em carreatas pelo Brasil todo, manifestantes pedem o impeachment de Bolsonaro
  • 13:17 Bolsonaro é responsável por 156,5 mil mortes por Covid-19, apontam médicos e cientistas

Está sendo uma comédia ver toda a mídia neoliberal correr para defender a política econômica de Paulo Guedes dizendo que Bolsonaro mentiu ao afirmar que o Brasil está quebrado.

Quando Bolsonaro e Guedes disseram que a economia estava quebrada e, por isso, o governo não tinha dinheiro para estender o Auxílio Emergencial, deixando uma nação de pobres à míngua, a mídia neoliberal ficou mais do que muda, comemorou o compromisso dos lacaios dos banqueiros com o teto de gastos.

A frase cretina do secretário de Política Econômica de Bolsonaro, Adolfo Sachsida, “Prorrogar auxílio pioraria situação dos mais pobres” passou em brancas nuvens pela mídia de banco.

A notícia de que, após seis anos, o Brasil volta a marca de 14 milhões de famílias na miséria, ou seja, 39,9 milhões de brasileiros, não mereceu um tostão de prosa dos “analistas econômicos” da GloboNews e congêneres.

O neoliberalismo militante da mídia não quer saber da economia real que atinge os pobres, dos mais de 14 milhões de trabalhadores sem empregos e um número sem fim de trabalhadores vivendo de bico, aos quais a mídia chama de empreendedores, mesmo que essa precarização não alcance, em média, um mísero salário mínimo.

Essa é a questão central de uma economia e não o inverso.

Mas como os pobres e miseráveis não são considerados cidadãos nesse Brasil de Bolsonaro, assim como foi com o golpista Temer, não há o que se preocupar porque o Brasil para os ricos vai muito bem, obrigado. Até porque, como dizia Meireles, o Brasil é seguro, por conta da folgada poupança que Lula e Dilma fizeram com quase 400 bilhões de dólares de reservas internacionais, o Brasil não quebrou e nem vai quebrar para os ricos, para os rentistas e banqueiros.

Tanto isso é verdade que a declaração de Bolsonaro de que o Brasil quebrou, não provocou qualquer abalo na bolsa brasileira.

Então, fica combinado, vivemos em dois Brasis. O Brasil dos deserdados está em frangalhos, já o Brasil dos endinheirados, está de papo pro ar vendo seu rico dinheirinho crescer na roda da fortuna do rentismo e agiotagem.

*Carlos Henrique Machado Freitas

Siga-nos no Whatsapp: https://chat.whatsapp.com/H61txRpTVWc7W7yyCu0frt

Apoie o Antropofagista com qualquer valor acima de R$ 1,00

Caixa Econômica: Agência 0197
Operação: 013
Poupança: 56322-0
Arlinda Celeste Alves da Silveira
CPF: 450.139.937-68

PIX: 45013993768
Agradecemos imensamente a sua contribuição

Celeste Silveira

Produtora cultural, parecerista de projetos culturais em âmbito nacional

RELATED ARTICLES
LEAVE A COMMENT

Comente

%d blogueiros gostam disto: