14 de maio de 2021
  • 19:06 Lewandowski concede a Pazuello o direito de ficar calado na CPI da Covid
  • 18:19 Áudios inéditos de entrevista a VEJA mostram contradições de Wajngarten
  • 16:32 Gabinete do ódio prova que fake news mata
  • 15:34 CPI da Covid já vê crimes de Bolsonaro na condução da pandemia e pode pedir seu indiciamento
  • 14:05 A CPI está provando que a vida dos brasileiros na era Bolsonaro, não vale nada

Com uma leitura trôpega, Bolsonaro fez uma espécie de ordem unida para tentar destituir a sua imagem mundial de monstro amazônico. No lugar, criou um monumento de bonitas intenções na base do “compra quem quiser comprar”. Só faltou ele homenagear Ricardo Salles.

Lógico que o objetivo dessa alegoria toda era, primeiro, criar uma fantasia interpretativa capaz de mudar a sua imagem que hoje figura entre os piores inimigos não só do planeta, mas dos seres humanos.

Por isso, a apoteose climática de Bolsonaro, certamente, não teve outra significação para os chefes de Estado que não seja embuste e cavação de fundo mundial quando, no final de seus inúmeros coices na verdade, sacou o chapéu exigindo uma gorjeta para “seguir” preservando a Amazônia e ampliar logicamente os recursos para promover, na realidade, mais destruição, naturalmente vestido de uma farda do exército brasileiro.

O embusteiro não diria gloriosamente que desmontou todo o aparato construído há anos de fiscalização do Ibama. Jamais diria que estabeleceu uma parceria miliciana com madeireiros, grileiros e outras figuras do intermúndio amazônico.

Na verdade, Bolsonaro apresentou dados de um país que ele odeia, que foi, sobretudo nos governos do PT, exemplo de preservação reconhecido pelo planeta, o que ele classificava como marxismo ambiental.

Mas como o sujeito não vale um tostão furado, vestiu o colete do Ibama, como faz Salles, para transformar a lombriga que é num vulto capaz de, numa rotação de 180 graus, refundar seu próprio governo que arrasta consigo todo o mal que vem fazendo à floresta nos últimos dois anos.

A questão é, algum chefe de Estado vai dar ouvidos ao suplício desse moleque que se associou à cachorrada grileira para destruir a Amazônia?

Duvido, pois não há imaginação exaltada que faça alguém engolir esses disfarces mal-ajambrados que deverão ser pagos a preços fantásticos pelo resto do mundo, segundo a cartilha dessa figura brochante chamada Bolsonaro.

*Carlos Henrique Machado Freitas

Antropofagista interação – Siga-nos no Watsapp: https://chat.whatsapp.com/C3vFPKeGR4JGwnGrwc6O5F

Siga-nos no Whatsapp: https://chat.whatsapp.com/H61txRpTVWc7W7yyCu0frt

Apoie o Antropofagista com qualquer valor acima de R$ 1,00

Caixa Econômica: Agência 0197
Operação: 013
Poupança: 56322-0
Arlinda Celeste Alves da Silveira
CPF: 450.139.937-68

PIX: 45013993768
Agradecemos imensamente a sua contribuição

Celeste Silveira

Produtora cultural, parecerista de projetos culturais em âmbito nacional

RELATED ARTICLES
LEAVE A COMMENT

Comente

%d blogueiros gostam disto: