16 de agosto de 2022
  • 19:47 Ex-ministros de Bolsonaro enriqueceram no governo; patrimônios chegam a R$ 6 milhões
  • 17:37 Lula diz que Bolsonaro é ‘possuído pelo demônio’ e tenta manipular evangélicos
  • 14:57 Vídeo: Lula dá largada à campanha eleitoral: “Quero ser presidente para mudar de novo a vida do povo”
  • 14:18 Mário Scheffer: Programa de Bolsonaro registrado no TSE mente sobre as mortes pela covid e até erra o nome do SUS
  • 10:53 O Antropofagista precisa de você. Um Pix de qualquer valor, ajuda muito

Serão convocados o atual presidente da empresa no Brasil e o executivo que tratou das negociações com governo, além do ex-Secom, Fabio Wajngarten.

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid no Senado aprovou nesta quarta-feira (5) as convocações do ex-secretário de Comunicação da Presidência Fábio Wajngarten e do ex-ministro das Relações Exteriores Ernesto Araújo.

Também foram convocados Dimas Covas, diretor do Instituto Butantan; Nísia Trindade, presidente da Fiocruz; o secretário de Saúde de Amazonas, Marcelus Campelo; representantes da União Química, laboratório que produz a vacina russa Sputnik V no Brasil, e da Pfizer.

De acordo com o cronograma anunciado pelo presidente da CPI, Omar Aziz (PSD-AM), os convocados comparecerão nas seguintes datas:

  • Terça-feira (11) – Fábio Wajngarten e representantes da Pfizer Carlos Murillo e Marta Diéz
  • Quarta-feira (12) – Nísia Trindade (Fiocruz) e Dimas Covas (Butantan)
  • Quinta-feira (13) – Ernesto Araújo e representante da União Química, Fernando de Castro

No caso de Wajngarten, os senadores da CPI querem que ele dê explicações sobre as negociações e tratativas com a farmacêutica Pfizer para a aquisição de vacinas contra o coronavírus.

Em entrevista à revista Veja, Wajngarten afirmou que o atraso na compra dos imunizantes foi motivado por “incompetência” e “ineficiência” do Ministério da Saúde.

Em agosto de 2020, a farmacêutica ofereceu a venda de 70 milhões de doses da vacina, com entrega prevista para dezembro daquele ano. O governo brasileiro, no entanto, recusou a oferta.

Na entrevista, Wajngarten isentou de responsabilidade o presidente Jair Bolsonaro e disse que ele foi “mal assessorado” e que “as coisas travavam no Ministério da Saúde”.

Os representantes da Pfizer devem prestar depoimento na mesma reunião em que Wajngarten comparecerá.

Outros depoimentos

Os integrantes da CPI da Covid aprovaram ainda a convocação de João Paulo Marques dos Santos, ex-secretário executivo da Secretaria de Saúde do Amazonas, estado que sofreu com um colapso no sistema de saúde no início do ano.

Nesta quinta-feira (6), estão previstos os depoimentos do atual ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, e do presidente da Anvisa, Antonio Barra Torres.

Do presidente da Anvisa, os senadores querem informações sobre a análise e aprovação de mais vacinas contra a Covid-19. Atualmente, o Brasil tem autorização da agência reguladora para aplicar os imunizantes Coronavac, AstraZeneca/Oxford, e Pfizer.

*Com informações do G1

Antropofagista interação – Siga-nos no Watsapp: https://chat.whatsapp.com/C3vFPKeGR4JGwnGrwc6O5F

Siga-nos no Whatsapp: https://chat.whatsapp.com/H61txRpTVWc7W7yyCu0frt

Apoie o Antropofagista com qualquer valor acima de R$ 1,00

Caixa Econômica: Agência 0197
Operação: 013
Poupança: 56322-0
Arlinda Celeste Alves da Silveira
CPF: 450.139.937-68

PIX: 45013993768
Agradecemos imensamente a sua contribuição

Celeste Silveira

Produtora cultural

RELATED ARTICLES
LEAVE A COMMENT

Comente

%d blogueiros gostam disto: