26 de junho de 2022
  • 23:35 Bolsonaristas ignoram tragédia humanitária causada por Bolsonaro na pandemia de Covid
  • 19:33 Janio de Freitas: O Brasil real escancara-se com Milton Ribeiro e pastores e a delinquência se desnuda
  • 18:11 Pressionado pelos vazamentos, Bolsonaro ameaça golpe e passa recibo de que está até o talo no caso do MEC
  • 16:01 Marcelo Adnet bomba nas redes imitando conversa de Bolsonaro com Milton Ribeiro
  • 15:32 Bolsonaro insinua encontro com Áñez; ela nega

A entrega de um patrimônio dos brasileiros, como a Eletrobras, resume com precisão o que o governo Bolsonaro.

Detalhe, mídia e Bolsonaro estão juntos com o objetivo de destruir o Estado brasileiro com privatizações criminosas. Isso não é uma integração casual, é resultado de um combinado da campanha de 2018 entre Bolsonaro e a grande mídia para que ele se subordinasse à agenda de Temer, que é, como todos sabem a agenda neoliberal da mídia.

Para garantir essa agenda, sobretudo a entrega criminosa a grandes bilionários, saqueando o povo brasileiro, o país como um todo, Bolsonaro usa todos os artifícios que o factoide pode produzir.

Nos últimos dias, ele voltou a carga contra as urnas eletrônicas e, nesta quinta-feira, voltou a atacar as vacinas. Sempre usando a mesma técnica de dissuasão para agravar a crise porque o país passa, que corresponde diretamente a mesma situação que os brasileiros estão passando.

Lógico, Bolsonaro sabe que também será julgado por mais esse crime, porque tem consciência de que a entrega da Eletrobras vai lhe custar um preço alto pelo tratamento odioso que ele vem dando a essa questão, fingindo que nada está acontecendo, pois ele nem toca no assunto.

A única forma de reduzir os danos é subir no picadeiro e espalhar lorotas, criar crises artificiais e, hoje, ir ao encontro do bilionário Elon Musk.

Em todos esses fatores, Bolsonaro emprega uma grande publicidade, porque sabe que, movimentando-se, ele atrai os holofotes, pauta o judiciário e desvia a atenção daquilo que, nesse momento, mais importa, que é o assalto que está promovendo na Eletrobras para beneficiar grandes empresários, o que vai custar caríssimo ao povo brasileiro, com uma conta de luz muito mais salgada do que já está para dar super lucros a quem adquirir essa barbada.

Tudo isso acontece debaixo do nariz das instituições de controle, e nada é feito. Isso, em síntese, pode-se dizer, temos um presidente genocida, impune, que tem uma folha corrida de denúncias de corrupção, junto com os filhos, sem que nada de fato caminhe, em termos de investigação, mostrando a fragilidade institucional desse país, em que um sujeito, com um esquema grosseiro e, provavelmente sairá bilionário da presidência. Pior, está respaldado pelas instituições.

O brasileiro que não se revolta co, uma coisa dessa, é omisso ou profundamente ignorante.

Caros Leitores, precisamos de um pouco mais de sua atenção

Nossos apoiadores estão sendo fundamentais para seguirmos nosso trabalho. Leitores, na medida de suas possibilidades, têm contribuído de forma decisiva para isso. Agradecemos aos que formam essa comunidade e convidamos todos que possam a fortalecer essa corrente progressista. Seu apoio é fundamental nesse momento crítico que o país atravessa para continuarmos nossa labuta diária para trazer informação de qualidade e independência.

Apoie o Antropofagista com qualquer valor acima de R$ 1,00

Caixa Econômica

Agência: 0197
Operação: 1288
Poupança: 772850953-6

PIX: 45013993768

Agradecemos imensamente a sua contribuição

Carlos Henrique Machado

Compositor, bandolinista e pesquisador da música brasileira

RELATED ARTICLES
LEAVE A COMMENT

Comente

%d blogueiros gostam disto: