25 de junho de 2022
  • 21:18 Vídeo: Ataque de fazendeiros a indígenas em Mato Grosso do Sul deixa feridos e desaparecidos
  • 18:48 Família Dallagnol é cobrada pelo Incra em R$ 147 milhões por sobrepreço em desapropriação de terras
  • 17:37 Milton Ribeiro, em ligação com a filha, diz que Bolsonaro ligou alertando sobre busca e apreensão
  • 15:17 Estuprada por Bolsonaro, a arte brasileira toca por Lula
  • 14:29 Faixa de caminhão na estrada de SP, “Bolsonaro te enganou”

“O braço armado do Estado não tem direito de chegar atirando a esmo, dizendo que todo mundo é bandido”, disse o ex-presidente Lula.

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) afirmou, nesta terça-feira (31), que o Estado brasileiro não pode autorizar a morte da população residente nas periferias em operações policiais e que é preciso lutar contra as milícias em todo o país.

“Nós estamos lutando contra os matadores da Marielle, milicianos; pessoas que não têm medo de fazer com o Genivaldo o que a Polícia Rodoviária Federal fez em Sergipe. Qualquer um de nós, ser humano, tem o direito de reagir emocionalmente e cometer uma barbárie, mas o Estado não tem. O braço armado do Estado não tem direito de chegar atirando a esmo, dizendo que todo mundo é bandido”, disse Lula.

A afirmação de Lula faz referência a morte de Genivaldo de Jesus Santos, morto em uma espécie de “câmara de gás” improvisada no porta-malas de uma viatura da Polícia Rodoviária Federal (PRF), em Sergipe, e também a operação policial na Vila Cruzeiro, no Rio de Janeiro, que deixou mais de 25 mortos durante uma operação policial.

Também citado por Lula, o assassinato da vereadora Marielle Franco (Psol) e do motorista Anderson Gomes, ocorrido em uma rua do Rio de Janeiro, completou quatro anos sem que os mandantes do crime tenham sido identificados pela polícia. A autoria do duplo homicídio é atribuída a milicianos.

Lula participou, juntamente com outros nomes importantes do PT, como o ex-ministro e pré-candidato ao governo de São Paulo, Fernando Haddad, e a ex-presidente Dilma Rousseff, participou nesta terça-feira (31) do lançamento do livro “Querido Lula”, no Teatro Tuca, em São Paulo.

*Com 247

Agradecemos aos que formam essa comunidade e convidamos todos que possam a fortalecer essa corrente progressista. Seu apoio é fundamental nesse momento crítico que o país atravessa para continuarmos nossa labuta diária para trazer informação de qualidade e independência.

Apoie o Antropofagista com qualquer valor acima de R$ 1,00

Caixa Econômica Agência: 0197

Operação: 1288

Poupança: 772850953-6

PIX: 45013993768 – CPF

Agradecemos imensamente a sua contribuição

Celeste Silveira

Produtora cultural

RELATED ARTICLES
LEAVE A COMMENT

Comente

%d blogueiros gostam disto: