12 de agosto de 2022
  • 20:09 Presidente do BC desmascara Bolsonaro: ‘não é verdade’ que bancos perdem dinheiro com Pix
  • 19:20 Vídeo: Arthur Lira mostrando como funciona e para quem funciona o orçamento secreto, tirado do suor do povo na compra de apoio
  • 17:16 TCU apura gastos irregulares de R$ 100 milhões em hospital federal do Rio sob influência de Flávio Bolsonaro
  • 16:47 Por unanimidade, Conselho de Ética aprova pedido de cassação do bolsonarista Gabriel Monteiro
  • 14:15 Celso de Mello: “obscurantismo retrógrado de um ditador travestido de político”

A declaração foi feita poucas horas após Janones agradecer o convite de Lula para conversar sobre a democracia e o petista dizer que iria ligar para o possível aliado.

O deputado federal e pré-candidato à Presidência André Janones (Avante) admitiu, nesta sexta-feira (29/7), que pode retirar a candidatura ao Planalto para apoiar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) no primeiro turno do pleito de outubro deste ano. A declaração foi feita poucas horas após Janones agradecer o convite de Lula para conversar sobre a democracia e o petista dizer que iria ligar para o possível aliado.

Questionado pelo jornal Estadão sobre a possibilidade de desistir e apoiar o principal rival do presidente Jair Bolsonaro (PL), Janones afirmou que é uma possibilidade. “Sim (estou disposto a retirar a candidatura para apoiar Lula). Se não, eu não iria conversar. Tenho total consciência do meu tamanho do ponto de vista eleitoral, que é micro: um ou dois pontos (nas pesquisas)”, disse.

“Mas ao mesmo tempo tenho noção do simbolismo da minha candidatura nesta eleição”, acrescentou o candidato ao jornal paulista. No entanto, Janones afirma que a negociação será dura, “no sentido de o ex-presidente encampar as minhas propostas”. “Se eu tiver que abdicar da candidatura, vou exigir muito”, pontua.

O deputado diz que não tem pretensão de discutir cargos ou negociar ministérios. “Vejo esse encontro como um momento de celebração da democracia”, disse. Janones acrescenta que a política está “tomada pelo ódio com o Bolsonaro e o centrão” e pouco se fala sobre democracia. “Democracia é sinônimo de diálogo. Vou usar as palavras de JK (Juscelino Kubitschek): não tenho compromisso com o erro”, declarou.

“Volto atrás das minhas decisões quantas vezes forem necessárias. Nenhum dos candidatos me procurou para um diálogo para discutir propostas, exceto o ex-presidente Lula”, finalizou.

A interação pública entre Janones e Lula iniciou no Twitter na quarta-feira (28/7), após o parlamentar do Avante publicar um texto em que cita os índices de pobreza — 33 milhões de pessoas em estado de fome — e a crise na economia e diz que se tornou candidato para “defender a democracia brasileira, que hoje corre risco”.

Em resposta, Lula disse ficar “feliz” e que a defesa à democracia “também é a causa que motiva na política” e que os dois estavam juntos nesse objetivo. “Vamos conversar”, finalizou Lula. Na manhã dessa sexta-feira (29/7), Janones criticou os pré-candidatos Ciro Gomes (PDT) e Simone Tebet (MDB) por ignorarem ele, disse que Bolsonaro o bloqueou e elogiou Lula por pensar no Brasil. “Convite aceito”, escreveu o parlamentar.

*Com Correio Braziliense

Agradecemos aos que formam essa comunidade e convidamos todos que possam a fortalecer essa corrente progressista. Seu apoio é fundamental nesse momento crítico que o país atravessa para continuarmos nossa labuta diária para trazer informação de qualidade e independência.

Apoie o Antropofagista com qualquer valor acima de R$ 1,00

Caixa Econômica Agência: 0197

Operação: 1288

Poupança: 772850953-6

PIX: 45013993768 – CPF

Agradecemos imensamente a sua contribuição

Celeste Silveira

Produtora cultural

RELATED ARTICLES
LEAVE A COMMENT

Comente

%d blogueiros gostam disto: