25 de outubro de 2020
  • 12:04 Secom veiculou até onze vezes mais anúncios em canais investigados por fake news
  • 10:42 Impasse sobre CoronaVac pode atrasar vacinação no Brasil
  • 19:12 Carlos Fernando Boquinha, uma ave de rapina tucana com asas de ganso
  • 17:44 General Heleno mentiu: GSI não tomou conhecimento de denúncia do caso Flávio/Queiroz de ‘maneira informal’
  • 16:25 Boulos visita caixa de supermercado humilhada por Russomanno

Sim, Lula continua preso. Mas como disse Wadih Damous, Lula não foi derrotado, seu Habeas Corpus nem foi julgado, teve apenas uma vitória adiada.

Moro, o sujeito que era herói até há pouco tempo, está no banco dos réus. Ou seja, o pacto entre a mídia, a escória, o dinheiro e o judiciário, foi rompido.

A Globo queria dirigir sozinha mais um espetáculo em que o protagonista, o canastrão da novela policial é Moro. Mas ela não tem como travar ou pautar os vazamentos contra Moro.

A persistir nessa pegada, Moro poderá ter um destino que desejou a Lula. Nada está garantido, claro.

A tropa de ocupação ligada umbilicalmente a Moro, tentará muitas manobras e das mais sujas.

Mas o fato é que, o domínio da aura de herói que Moro ostentava foi pro espaço sem passagem de volta e, com isso, inevitavelmente o curso do país muda de rumo.

Além do que, o site The Intercept Brasil gruda cada vez mais na testa de Moro a marca do juiz parcial beirando ao criminoso.

Glenn Greenwald, do Intercept Brasil, prometeu na câmara dos deputados injetar mais luz a essa sombra lavajatista, revelando um meticuloso esquema comandado por Moro na Lava Jato, para condenar e prender Lula sem provas.

Isso, naturalmente, vai acender mais pavios incendiários contra Moro.

A dúvida agora, é quanto à natureza dos malfeitos de Moro, e qual caminho será mais adequado para derrubá-lo do ministério e, em seguida, torná-lo um réu comum.

Isso será o começo do fim da iniquidade que sangra hoje o Brasil.

A ver.

 

 

Celeste Silveira

RELATED ARTICLES
LEAVE A COMMENT

Comente

%d blogueiros gostam disto: