18 de setembro de 2021
  • 16:50 “gabinete paralelo” levava dados da Prevent Senior para o governo federal
  • 14:13 ‘Gabinete paralelo’ tinha ligação com Prevent Senior, diz documento
  • 12:11 Governo Bolsonaro é criticado pela ONU por esvaziar proposta contra vigilância ilegal
  • 10:15 Ana Paula do Vôlei, a bela bruxa da maçã envenenada
  • 09:12 Fachin cobra de Aras nova manifestação sobre denúncia contra Arthur Lira

DOMINGÃO DA LAVA JATO
Por Leandro Fortes

De todas as mazelas da Lava Jato desnudadas pela matéria da revista VEJA, em parceria com o The Intercept Brasil, uma nota tragicômica se sobressai ao lodo geral: Fausto Silva, o Faustão, era conselheiro do então juiz Sérgio Moro.

Deslumbrado, o bacharel da zona rural não se conteve. Foi ao Telegram revelar a Deltan Dallagnol os conselhos de Faustão de como falar ao “povão” sobre as atrocidades que cometia, à margem da lei. Um media training inusitado que acabou servindo, agora, para confirmar o que todos sabiam, mas que Moro mentia, descaradamente, para se safar: as mensagens são todas reais.

Faustão foi procurado pelos repórteres e confirmou, exatamente, o teor da conversa. Esse fato consolida a credibilidade de todo o material, o que torna a nova leva de informações ainda mais grave. Nos diálogos recém publicados, fica ainda mais claro que Dallagnol subordinou completamente a força-tarefa do Ministério Público Federal de Curitiba a Sérgio Moro.

Não há, portanto, mais nenhuma dúvida que Moro foi um juiz parcial que orientava e instrumentalizava os acusadores contra um réu que, mais para frente, seria julgado por ele mesmo. Isso é, simplesmente, a coisa mais abominável que pode existir dentro do Estado de Direito e do ordenamento jurídico de um país que queira ser reconhecido como nação civilizada.

Agora, a questão não é mais se Moro e Dallagnol são culpados, ou se as mensagens são verdadeiras. A única discussão plausível, nesse momento, é quando a farsa do julgamento de Lula será anulada e essa gente será processada e punida pelo que fez.

 

*Por Leandro Fortes

Celeste Silveira

Produtora cultural

RELATED ARTICLES

1 COMMENTS

  1. Celso Jonusan Posted on 5 de julho de 2019 at 21:19

    Enquanto aliarem, apenas ao Lula, as indignidades de Juiz e Ministério Público, nada adiantará… o que importa, agora é demonstrar as ilegalidades da “lava jato”, contra todos… incluindo-se a coleta de delações, a primeira delas, a partir de uma sentença teratológica com sentença centenária, (no montante à pena) … O delator foi azmarrado ao “crime”, mesmo sendo inocente, mas a delação, obtida, indiscutivelmente por turtura (o cumprimento de pena pelo resto da vida) a delação, enquanto não for apurada, servirá como uma “espada de Damocles” sobre sua cabeça, pois se alegar, a qualquer tempo, ter mentido para assegurar sua própria liberdade, var ser sunm,etido à prisão pelo prazo da condenação… A delação impete quaisquer recuros, na fercade é uma confissão de acordo com “esse não instituído” Poder Judiciário…

    Reply
LEAVE A COMMENT

Comente

%d blogueiros gostam disto: