19 de setembro de 2020
  • 16:18 PGR vai investigar Eduardo Pazuello por produção excessiva de cloroquina
  • 15:12 Brasil, de exemplo mundial de combate à fome a motivo de grande preocupação
  • 12:44 Bretas admite que bloqueou contas pessoais de advogados e de escritórios
  • 10:25 Em depoimento à PF, assessor de Bolsonaro confessa repasse de vídeos do presidente a canais de direita no youtube
  • 09:46 O Pantanal antes – O Pantanal no governo Bolsonaro

Não era difícil de adivinhar a goleada que a impunidade daria na picaretagem a favor de Dallagnol, livrando-o do afastamento imediato para que não continuasse praticando crimes até o seu julgamento definitivo, o que certamente será postergado por anos a fio até caducar o processo.

O Ministério Público ganhou um caráter tão fisiologista com o seu corporativismo de seita, que diluiu nesse agradável mundo dos colegas qualquer resquício de relação entre os procuradores e a sociedade.

O que impressiona é a coisa feita a seco, às surdas de uma moralidade que a Lava Jato vomitou durante cinco anos e, depois de toda a baderna jurídica que criaram para golpear Dilma e prender Lula, como mostra o Intercept através dos vazamentos, não se esperava nenhuma resposta elaborada para justificar a impunidade de Dallagnol, o Queiroz do Ministério Público.

É fato que mudou muito a concepção que a sociedade fazia do Ministério Público, aquela catedral moral ruiu, foi engolida pelos próprios procuradores, hoje, tendo a maioria formada por filhos das classes economicamente dominantes e, como tal, tem como interesse fundamental manter o andar de cima impune, modelando as leis a modo e gosto para que os de baixo paguem a passagem dos de cima para o paraíso.

Na verdade, o CNMP entendeu o sinal de forma trocada na hora de atender ao ambicioso Dallagnol. Certamente isso ficará para o registro da história como consequência de uma instituição que está morrendo pela própria conta e risco.

 

*Por Carlos Henrique Machado Freitas

Celeste Silveira

RELATED ARTICLES

3 COMMENTS

  1. Pingback: Quem tem padrinho, não morre pagão: por 12 a 0, CNMP livra a cara de Dallagnol – Antropofagista | O LADO ESCURO DA LUA
  2. afonso Schroeder Posted on 10 de setembro de 2019 at 21:40

    Vemos descumpridores da Constituição/88, mentirosos, irresponsáveis perseguidores as esquerdas unidos, que devem ser afastados das funções já. A INTERCEPT de Glenn Greenwald comprovou de como temos justiceiros na justiça do Brasil “ilustres” perseguem o estadista ímpar (Lula) por pura inveja, incompetência, mas os brasileiros já acordaram e estão com (Lula) estadista que continua tendo a admiração e respeito do povo brasileiro e as Nações de todo mundo.

    Reply
  3. Fran Posted on 12 de setembro de 2019 at 02:26

    “a Freedom of the Press Foundation pede que o governo brasileiro suspenda imediatamente suas táticas de intimidação e se concentre em investigar aqueles que o merecem: os que são mostrados nas matérias do The Intercept Brasil”
    Desculpa mas vcs estao de ma fe colocando um titulo da materia como se OS eua fossem OS emissarios dessa ordem… no fake news!!

    Reply
LEAVE A COMMENT

Comente

%d blogueiros gostam disto: