23 de setembro de 2020
  • 22:26 Após 5 anos, Lava Jato admite o que sempre soube, palestras de Lula eram legais
  • 19:57 Bolsonaro dá vexame na ONU, dólar sobe, investidores fogem do Brasil e país perde acordos internacionais
  • 18:33 Lula: O que deveria ser o discurso do Brasil na ONU
  • 17:51 Bolsonaro precisa decidir se o Brasil é cristofóbico ou é cristão conservador, os dois não dá
  • 14:02 Fux mostra a que veio

Ministro declarou nesta segunda-feira 14 a respeito do debate sobre as prisões após condenação em segunda instância, que será julgado no dia 17 pela Corte e do qual é relator, que os integrantes do STF não são “justiceiros”, mas “defensores da Constituição”. O tema afeta diretamente os casos da Lava Jato e pode beneficiar o ex-presidente Lula.

O ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), afirmou nesta segunda-feira 14 que os integrantes da Corte não são “justiceiros”, mas “defensores da Constituição”. A afirmação vem na esteira do julgamento pautado pelo tribunal para a próxima quinta-feira 17 a respeito das prisões após condenação em segunda instância, do qual é relator.

Ao todo, há três ações que discutem a questão da prisão depois de condenação em segunda instância e o ministro é relator de todas elas. Com a declaração, publicada em uma reportagem de Fausto Macedo, do Estado de S.Paulo, Marco Aurélio antecipa – e confirma – o posicionamento que dará sobre o tema.

“Já tardava a designação da data. Esses temas que a sociedade reclama definição não podem ficar para as calendas gregas. Já passou da hora de liquidar isso. Eu devolvi os processos (para julgamento) em dezembro de 2017. Se tivéssemos resolvido naquela época, não haveria tanta celeuma”, declarou.

O magistrado já havia pedido para que o debate fosse feito pelo plenário, mas os casos não haviam sido pautados até hoje pela ex-presidente do STF Cármen Lúcia e apenas agora pelo atual presidente, Dias Toffoli.

Para Marco Aurélio Mello, serão necessárias ao menos três sessões plenárias para concluir a discussão. O tema afeta diretamente os rumos da Lava Jato e pode beneficiar o ex-presidente Lula.

 

 

*Com informações do 247

Celeste Silveira

RELATED ARTICLES

1 COMMENTS

  1. José Cesar Pereira Posted on 14 de outubro de 2019 at 18:15

    Os “justiceiros” do STF, seguidores da “fake constituição” de Moro (chefe da Organização Criminosa e Terrorista da Lava Jato Parcial Conexão de Curitiba, ministro premiado de Bolsonaro e manipulador da PF) rasgarão mais uma vez a Constituição do Brasil para manterem a “ultima palavra dos generais” para continuarem a mantenção de Lula (nosso Estadista Global) sequestrado como um preso político? Ou serão derrotados pelos ministros de verdade do Supremo para que seja feita justiça? Lula é inocente, uma vítima de “gangsters traidores”. #LulaLivre

    Reply
LEAVE A COMMENT

Comente

%d blogueiros gostam disto: