28 de janeiro de 2021
  • 21:57 Marinha pagou R$ 533 em lata de chantilly e gastou R$ 128 mil em paçoca
  • 18:55 Bolsonaro, sobre o leite condensado, repete a tática contra jornalistas que usou no caso do depósito de R$ 89 mil de Queiroz para Michelle
  • 17:15 Vídeo: Em claro desespero com o escândalo do leite condensado, Bolsonaro manda imprensa para a puta que pariu
  • 16:13 Em ÁUDIO, empresa nega venda de leite condensado na proporção indicada pelo governo Bolsonaro
  • 15:03 Desesperado, Bolsonaro apela para que caminhoneiros não façam greve na próxima semana

Se o governo Bolsonaro está sendo marcado como a era do ovo, ao contrário, uma das grandes marcas do governo Lula foi o churrasco na casa das famílias de trabalhadores brasileiros.

O consumo de carne bovina, suína e de frango nunca foi tão grande no Brasil quanto nos oito anos do governo Lula e nos quatro que Dilma pôde governar.

Agora é isso que estamos vendo no governo Bolsonaro.

Do início de setembro para cá, o valor da carne bovina no atacado já subiu quase 50%.

O pico é tão forte que, no gráfico, é representado por uma linha quase reta para cima.

Esse aumento foi repassado quase que integralmente para o varejo.

Segundo pesquisa da BoiSCOT Consultoria, o mercado está agitado com cotações subindo em média 8,9% por semana desde início de novembro.

O levantamento indica que o atual preço da arroba bateu recordes e chega a ser negociado por R$ 230, com aumentos registrados em 29 das 32 praças do Estado de São Paulo pesquisadas pela entidade.

“É a primeira vez, desde novembro de 1991, que a cotação atinge esse patamar (considerando o preço nominal e também o preço deflacionado)”, disse a BoiSCOT quando o preço bateu R$ 200.

 

*Da redação

 

Celeste Silveira

Produtora cultural, parecerista de projetos culturais em âmbito nacional

RELATED ARTICLES
LEAVE A COMMENT

Comente

%d blogueiros gostam disto: