5 de dezembro de 2020
  • 21:44 Valor Econômico: PIB per capita deve levar dez anos para voltar ao nível do governo Dilma em 2013
  • 19:50 Youtuber bolsonarista revela acesso a bastidores no Planalto
  • 17:33 Ex-presidente do STF se diz perplexo com manobra da Corte a favor de Maia e Alcolumbre
  • 14:50 Vídeo: Precisamos falar do gabinete do ódio de Ciro Gomes
  • 14:15 Bonner e Renata Vasconcellos são intimados a depor pela polícia do Rio

Moro, no Roda Viva, nada declarou sobre o discurso nazista de Roberto Alvim, sobre o atentado ao Porta dos Fundos, sobre o laranjal do ministro do Turismo, sobre os ataques à imprensa, a jornalistas e a parentes de jornalistas, nada falou a sobre a Vaza Jato.

O sujeito é 100% submisso a tudo que seu chefe diz e faz.

Mas o fato mais vigarista do ex-juiz corrupto e ladrão é o de simplesmente não responder nada que seja minimamente relevante.

Nas perguntas da proteção de Moro a FHC, a bancada do Roda Viva resolveu dar proteção a FHC e nada perguntou sobre os absurdos da Lava Jato vazados pelo  Intercept.

Moro não foi perguntado sobre a parcialidade da Lava Jato que jamais incomodou os corruptos comprovados do PSDB.

A entrevista, na maior parte do tempo, não passou de uma tabelinha entre perguntas idiotas e respostas imbecis.

Lógico que, nesse quesito, Felipe Moura Brasil foi campeão. Só faltou perguntar a Moro se ele gosta mais de fanta laranja ou de uva.

Moro fecha os olhos quando mente e sorri quando lhe perguntam sobre sua candidatura à presidência. Isso é praticamente um tique.

Sobre os grampos criminosos, Moro respondeu a la Moro

Grampo criminoso contra o presidente Bolsonaro sobre um suposto hacker, se destrói.

Grampo criminoso praticado pelo próprio Moro contra a presidenta Dilma, se repassa para a Globo divulgar.

Em síntese, foi esse o pastelão a entrevista de Moro no Roda Viva.

 

*Carlos Henrique Machado Freitas

Celeste Silveira

RELATED ARTICLES
LEAVE A COMMENT

Comente

%d blogueiros gostam disto: